Novos eventos para divulgar “A noite maldita”, abril e maio 2013

Olá, leitores!

Segue a lista de novos eventos onde estarei autografando o livro “As crônicas do fim do mundo – A noite maldita”.

Quem for do pedaço, apareça! Durante os autógrafos rola uma bate-papo onde posso tirar suas dúvidas.

Quer ler os 3 primeiros capítulos para saber como é que o mundo vai acabar? Acesse o link e baixe o arquivo PDF.

O fim do mundo…

Novos eventos:

19 de abril – 19h00 – Livraria Saraiva do Shopping Center Vale – São José dos Campos – SP

20 de abril – 19h00 – Livraria Saraiva Avenida Ana Costa – Santos – SP

21 de abril – 16h00 – Livraria Nobel Shopping Sorocaba – Sorocaba – SP

25 de abril – 19h00 – Livraria Saraiva Shopping Rio Sul – Rio de Janeiro – RJ (a confirmar, mas anota ai que vai rolar!)

27 de abril – 19h00 – Livraria Saraiva Shopping Salvador – Salvador – BA

04 de maio – 19h00 – Livraria Saraiva Novo Shopping – Ribeirão Preto – SP

05 de maio – 19h00 – Livraria Saraiva Rio Preto Shopping Center – São José do Rio Preto – SP

17 de maio – 19h00 – Livraria Saraiva São Bernardo Plaza Shopping – S. Bernardo do Campo – SP

18 de maio – 18h00 – Livraria Fnac Goiânia – Shopping Flamboyant – Goiânia – GO

Fortaleza será em julho! Outras cidades podem entrar para a lista, informo quando tiver confirmações.

O fim do mundo…

Capa_front_small

Quer saber como o mundo vai acabar?

Eu vou te dizer…
Primeiro, metade da humanidade vai afundar num sono paralisante e misterioso, então o caos tomará conta das cidades. Muitos vão acreditar que uma epidemia chegou para dizimar os humanos, outros vão vagar pelas ruas, perdidos, procurando uma resposta para o episódio. O fenômeno dos adormecidos será tão poderoso, entupindo hospitais com gente desacordada e desesperada que muitos demorarão a notar que este não é o único flagelo que os rodeia. Os sistemas de telecomunicações cairão, não haverá mais TV, rádio ou internet, os celulares e telefones vão ficar mudos, isolando as pessoas e ampliando o desespero. Da população que não foi apanhada pelo sono, metade adoecerá de uma hora para outra, começando a passar mal, evitando a luz do sol e sofrendo de terríveis dores abdominais que as tornarão pessoas extremamente agressivas e eles serão milhões e assim serão chamados: “os agressivos”. Então quando a noite maldita chegar, todos descobrirão como será o fim. Os agressivos se tornarão criaturas estranhas, violentas, que atacarão qualquer um em uma insana busca por sangue. Eles serão tão numerosos e tão violentos que e a sociedade abalada será engolfada por esse cenário tenebroso e sucumbirá. Assim será o fim do mundo. Você acha que sobreviveria em um planeta assim?

Leia “As crônicas do fim do mundo – A noite maldita” e acompanhe de perto aqueles que viverão os derradeiros dias da sociedade como hoje a conhecemos e se prepare… o fim do mundo está chegando.

Clique no link logo abaixo e baixe o arquivo com os 3 primeiros capítulos dessa aventura sombria, leia no PC, no note, celular ou leitores de arquivos PDF.

A Noite Maldita

EVENTOS DO LIVRO:
Dia 6 de abril – sábado – livraria FNAC Av. Paulista – 19hs.
Dia 7 de abril – domingo – Livrarias Curitiba – Shopping Aricanduva – 16hs.

As crônicas do fim do mundo – A noite maldita – LANÇAMENTO!

Capa_front_small

Olá, leitores.

Chegou a grande noite!

Dias 6 e 7 de abril de 2013 estarei em São Paulo para o lançamento de “As crônicas do fim do mundo – A noite maldita”.
Dia 6 – sábado – 19hs – Livraria FNAC Av. Paulista. Endereço: Avenida Paulista 901.
Dia 7 – domingo – 16hs – Livrarias Curitiba – Shopping Aricanduva. Endereço: Avenida Aricanduva 5555

Apareçam e tragam seus livros! Vamos fazer dessas noites uma grande festa!

Outras cidades e novas datas serão divulgadas conforme a editora Novo Século marcar esses eventos vindouros.

As crônicas do fim do mundo – A noite maldita

Lançamento: dia 2 de abril de 2013!

As crônicas do fim do mundo - A noite maldita

Finalmente foi divulgada a data de lançamento do meu novo livro, “As crônicas do fim do mundo – A noite maldita”. Sem sombra de dúvidas meu melhor trabalho até o momento. Talvez por conta dessa certeza eu esteja tão ansioso para que o livro chegue aos meus leitores. Apesar de ser o meu 14 livro lançado, ainda dá um frio na barriga danado antes do lançamento. Depois que o livro, é clichê falar (mas é a mais pura verdade), o livro deixa de ser meu e passa a ser de todos os que o leem.

“As crônicas do fim do mundo – A noite maldita” é uma daquelas leituras que tem o pendão de fazer o leitor se apaixonar pelas personagens, conhecer ainda mais quem já conhecia e ser cativado pelos novos habitantes dessa saga cheia de novidades.

Assim que a editora Novo Século me passar as datas e locais dos eventos de encontro com leitores, corro aqui para postar e deixar informado a todos.

Como o livro ainda está em pré-venda, posto aqui o link para você ler o segundo capítulo da obra e degustar um pouquinho mais desse mundo apocalíptico. O arquivo está em PDF e você poderá lê-lo a partir de seus dispositivos móveis. E lembre-se, “A noite maldita” recebeu esse título por um bom motivo.

ANM_cap.2

Enquanto isso…

papão-blog

Sei que está todo mundo ansioso pelo novo livro, e sei bem como é isso. Também estou aqui louco para ver essa nova aventura “As crônicas do fim do mundo – A noite maldita” chegar até vocês. A Novo Século quer fazer um grande trabalho com esse livro e me disse que em janeiro seria uma injustiça lançar o livro por conta do corre-corre nas livrarias por conta da volta às aulas. Assim que eles tiverem uma data precisa para o lançamento, acreditem, corro aqui para comentar.

Mas, enquanto isso, não estou parado, não é verdade? Estou envolvido em vários projetos interessantes, todos ligados a esse mundinho que vou, ano após ano, inventando, ampliando e melhorando.
Esse ano, além do “As crônicas do fim do mundo” pela Novo Século, também sairá um novo trabalho pela Rocco, dedicado ao público infantil. Será uma coleção com 10 volumes, contando histórias de “terrorzinho” para as crianças.

Página20

É o meu primeiro trabalho infantil e, acreditem, achei bem mais difícil escrever para os pequenos do que para os adultos. Apesar de histórias serem sempre histórias, o que eu mais gosto é de entrar no universo do meu leitor e me conectar com quem eu quero contar uma nova aventura. Resultado, tive que voltar a ser criança por uns tempos para resgatar essa conexão com os pequenos. Com três filhotas em casa até que não foi tão difícil. Os livros serão ilustrados pelo competente Denilson Santtos, que já trabalhou comigo no fantástico “O turno da noite – Escuridão Eterna” sendo ele o dono dos traços na HQ, agora nos livros dessa série infantil.

pag09

Quando estiver mais encorpado eu dou mais detalhes, mas posso dizer que agora meus leitores vão começar na casa dos seis anos de idade e as filas nas noites de autógrafos (talvez mais cedo em alguns casos, hehehe) vão ficar bem mais animadas com a presença dos pequenos. Os leitores que têm filhos pequenos vão adorar.

Outra novidade é na área de cinema, minha produtora, Criamundos, está trabalhando na adaptação do “A canção de Maria” para longa-metragem, e os trabalhos de pré-produção já estão a todo vapor. O conto “A canção de Maria” já foi publicado nas antologias “Amor Vampiro”, pela giz e, mais recentemente, na “Geração Subzero”, pela Record e também ganhou versão Kindle pela editora italiana 30k, em italiano e português, essa versão para Kindle vc acha fácil no site da Amazon no seguinte link: http://www.amazon.com/-/e/B00B79QOW6 que é minha página de autor.

Amor Vampiro (1)

capa-gerac3a7c3a3o-subzero

O conto narra a vida de um lenhador contemporâneo de Jesus Cristo que mora as margens do rio Jordão quando uma menina grávida bate a sua porta pedindo abrigo. Ezra não poderia dar guarida a grávida por conta de sua religião, mas acaba abrigando essa garota que, dias depois do parto, acaba morrendo, mas volta todas as noites para visitar a filha. É bem sombrio e oldschool, daqueles que dá frio na espinha e tudo. hehehe. Acontece que, por motivos de orçamento, tivemos que adaptar para os dias de hoje. Agora Maria é uma foragida que chega até a propriedade do lenhador nos dias de hoje, com 3 policiais no seu encalço. Ezra reluta, mas esconde a menina grávida e então tudo começa. Terror de primeira, prometo. ^^.

Igual na produção de “O turno da noite”, leitores que são atores e quiserem participar dos testes, fiquem atentos, que assim que chegar essa fase do projeto vou dar um alerta geral aqui pelo blog. Se você tem curiosidade de trabalhar atrás das câmeras, na parte de produção, abriremos também algumas vagas para leitores que querem começar ou já trabalham com cinema. Também é só ficar de olho aqui no blog.

Em televisão estou trabalhando e dois novos projetos para a Rede Globo, também ligados ao mundo do terror, ainda não posso revelar a temática e nem o formato, mas logo logo, sendo aprovado, corro aqui pra contar tudo.

Para fechar, além da coleção infantil, já comecei a rabiscar meu novo romance, já está um bocado avançado, com o roteiro e as personagens bem definidas. É um mundo de feiticeiras e guerreiros num mundo todo novo. Vamos ver no que dá, a ideia é muito legal e já está na minha cabeça há um bocado de tempo, alguns leitores até conhecem partes da história e assim que der eu posto alguns trechos por aqui.

2013 promete para todos nós.

Aguardando a noite chegar.

Olá, queridos leitores.

Estou aguardando a data de lançamento oficial do livro “As crônicas do fim do mundo – A noite maldita” ser estabelecida pela editora Novo Século. Estou tão ansioso quanto vocês, acreditem. Assim que me passarem essa informação corro aqui para postar.

abraços.

André

Personagens arrebatadores.

Uma de minhas personagens mais queridas pelos leitores, cheia de qualidades e defeitos.

Sempre me perguntam como criar um personagem carismático para a literatura. Sempre respondo que quando o assunto é contar histórias não existe receita pronta. Todo assunto pode virar uma grande aventura e um dos alicerces de uma boa trama são as personagens que habitam os conflitos que vamos propor aos nossos leitores.
Criar personagem cativante é fugir do comum. Em histórias de fantasia, principalmente, vejo muito a repetição de esterótipos entediantes, como nas histórias de vampiros, a maioria dos autores iniciantes optam por colocar aquelas criaturas noturnas em formas megasensuais, mulheres impecáveis, lindas e peitudas ou homens que mulher alguma resistiria a uma encarada de três segundos, sem sentir um frio na barriga sem se preocupar com estofo das marionetes que vamos animar.
Outros caminham por trilhas repetidas nas histórias de fantasia onde o protagonista é uma criança ou adolescente orfão. Sempre vem como primeira opção contar a história de um pobre órfão abandonado e tiranizado pelo qual os leitores sentirão uma simpatia enorme, probrezinho dele. Se o livro começa assim eu já abandono. Por que? Já contaram essa história uma porção de vezes, e, como já disse, por não existir receita, você pode até repetir esse modelo e ter êxito se o fizer com certa competência e criatividade. Pois reside nesse item, a criatividade, o calcanhar de aquiles dos autores brasileiros de fantasia. Muitos e muitos livros que chegam para mim com pedido para análise não me dão a chance de passar da primeira página ou porque são chatos demais, mal escritos ou, o que acontece na maioria das vezes, arremedos de sucessos de bilheteria no cinema ou bestsellers norte-americanos, com maneirismos norte-americanos, com cenários estrangeiros sem que realmente seja necessário que a história seja contada em outro lugar. Muitas garotas, escritoras promissoras, mandam textos sobre as aventuras de suas personagens femininas que estão aflitíssimas como o que vai acontecer no baile de formatura, só faltam escrever “high school prom” invés de baile de formatura e suas personagens, logo depois do encerramento do ano letivo partirem para as férias de verão em julho… e são vários casos. Usando a imaginação e trazendo a brasilidade para a coisa, temos aqui o famoso “baile de debutante”, o aniversário de 15 anos, que pode perfeitamente ser palco para muitos conflitos adolescentes sem fazer parecer um copião de enlatados norte-americanos.
Um bocado de gente deve me achar um tanto ufanista por brigar tanto para a produção de literatura de fantasia com cara brasuca, nem ligo. Só acho e repito que o Brasil é vasto e riquíssimo em cultura, lendas, folclore e maneirismos que deveriam ser mais explorados. Entendo perfeitamente quão sedutor é aos novatos a criação de personagens e cenários americanões, afinal de contas é por esse tipo de literatura, cinema, seriados e games que somos bombardeados todos os dias, e é por onde, muitas vezes, começamos nossa vida leitor ou cinéfilo.
Eu mesmo em meu primeiro romance não resisti a tentação e tenho lá minha parcela de “vergonha alheia”, hahahaha, no caso “vergonha de mim mesmo” em meu “O Senhor da Chuva”, é só ler os primeiros capítulos para conferir que está tudo ali, o resultado dos filmes de fantasia e terror que assisti, dos livros que li e hqs que devorei. Cenas em becos, nomes estrangeiros em excesso, celeiros a lá Kansas, trechos em milharal, tudo parte de uma massa encravada na minha mente. Então se esse texto aqui está te atingindo, relaxe. Esse texto é um convite a pensar mais, a se desafiar mais antes de começar a escrever e criar personagens e cenários. O barato de escrever sempre é observar e evoluir. Você escreveu um livro inteirinho com uma criatura destruindo Manhattan pela enésima vez? Não jogue fora! É parte do seu exercício para ir melhorando, ir em frente. No exemplo que citei de “O Senhor da Chuva”, onde meu livro parece um filmão norte-americano dublado em português, não enxerguei aquilo no momento em que escrevia. Eu só era movido pelo desejo de contar, de escrever aquela história maluca que eu tinha inventado. Já, quando terminei “O Senhor da Chuva”, com o surgimento de um personagem vampiro no meio da história, sabia que meu próximo livro seria sobre aquelas criaturas, eu queria escrever um livro de vampiros! Então surgiu “Os sete”. Da decisão de escrever um livro com vampiros até começar a elaborar o roteiro da história só existiu o hiato criado pelo tempo para encontrar a história certa, uma história dominada por um mito que todo mundo já conhecia e já tinha escrito sobre, mas contada de outro jeito, trazendo algo de original. Dai veio a caravela portuguesa e os poderes insanos conferido a cada um dos malditos do Rio Douro. De uma forma inconsciente eu já queria que a coisa toda tivesse a nossa cara, então em “Os sete” encontramos personagens com boné da cachaça 51 na cabeça, ruas de nossas capitais e periferias e menos estrangeirismos. Se você realmente se converter num escritor(a), verá que a cada livro acabado você melhora um pouco.

Dimitri (Ralph Maizza) e Tobia (Celso Melesz) no set de filmagens do “O turno da noite”. Dupla adorada pelos leitores de “Sétimo” e “O turno da noite”.

Voltando ao assunto da criação de personagens, essa opinião não é unânime, mas eu adoro criar uma ficha, uma biografia da personagem (pelo menos das principais e das que mais articularam com os protagonistas). Pegue algum tempo (vai ser um bom tempo dependendo do nível de profundidade exigido) para prospectar sua personagem, descobrir onde ela nasceu, quando, quem era seus pais e seus avós, seus irmãos, quem eram seus amigos mais chegados, o que ela mais quer da vida, o que ela está fazendo agora, onde estudou, quem eram seus amigos e amigas no tempo de escola, objetivo profissional. Tem que pensar nas qualidades que sua personagem tem e, por mais que você a ame, na vida real ninguém é perfeito, então trate de arrumar uns bons “defeitos” para sua personagem, existem muitos e, acredite, invés de “piorar” sua personagem vai ganhar muito mais carisma, porque ela vai ser uma pessoa muito melhor tendo defeitos. hahahaha. É antagônico, mas é verdade.

Outra dica boa é: nunca conte tudo da sua personagem logo no começo. Deixe o leitor ir descobrindo sua personagem aos poucos, página a página, capítulo a capítulo. É muito mais legal e atraente quando notamos que não sabemos tudo a respeito de uma pessoa.

Alguns autores têm horror a conhecer tudo sobre sua personagem, vão criando na hora, é um processo bastante legítimo e particular. Um grande roteirista e também escritor que lança mão dessa forma de criar é o Guillermo Arriaga, que escreveu roteiros brilhantes como “Amores Brutos” e “21 gramas”, por exemplo.

Para escrever dessa forma é preciso ser brilhante e talentoso, como eu ainda estou em processo de “iluminação”, prefiro o apoio das minhas biografias de personagens, elas são muito úteis quando você tiver momentos de interatividade com as personagens, quando elas sentarem para um café, quando trombarem num elevador, quando um tiver que convencer o outro a cruzar mares e montanhas atrás de um artefato mágico para salvar o mundo.

As crônicas do fim do mundo

Olá.

1 boa notícia e 1 má notícia.

O livro mais esperado de 2012 só sairá em 2013. :/

O livro novo ficou lindo e imenso, com mais de 700 páginas, e está gerando uma séria de trabalho para a Editora Novo Século. Como eu mesmo tratei de uma primeira revisão, cuidando da coerência do universo apresentado no livro que está todo encadeado com a saga “O vampiro-rei”, acabou ficando um pouco tarde para conseguirmos publicar o livro agora em final de outubro ou começo de novembro, o que gera uma demora chata para o lançamento já que editoras e livrarias não lançam material novo em dezembro. Bem, apesar dos bicos, das queixas e da ira de meus leitores, infelizmente este post vem com a missão cruel de informar que o novo livro só será lançado em janeiro de 2013.

Antes que vocês deitem mãos em machados, ancinhos e foices e tentem invadir meu escritório ou a editora Novo Século, saibam que essa demora toda é pensando na qualidade e deixando “As crônicas do fim do mundo: A noite maldita” o melhor livro meu já escrito e produzido. Espero que assim que peguem o livro na mão concordem e larguem facas e pistolas no chão. Apesar das 700 e tantas páginas, o livro está muito dinâmico e cheio daqueles momentos que é minha especialidade criar: momentos de prender o fôlego e correr os olhos até o fim da página para descobrir como os personagens vão se livrar daquela situação para estar vivos no próximo capítulo.

Mesmo contando essas coisas talvez seja uma boa ideia eu esconder minha família nas montanhas até lá, até que vcs, queridos leitores, estejam com o livro nas mãos e a sanha por sangue seja aplacada nesses nobres corações com a leitura das primeiras linhas da nova aventura, hehehe.

Abraços e logo posto novidades.

André

O livro mais esperado do ano, só sai ano que vem.

Bienal de São Paulo 2012

Olá,

Esse ano participo da Bienal de São Paulo em 3 datas diferentes. Anote ai na agenda e veja se consegue aparecer para autografar seus livros, assistir a minha participação no Espaço Jovem com as amigas Giulia Moon e Martha Argel e uma convidada gringa que é Sarah Blackley-Cartewright (uma das autoras de “A garota da capa vermelha).

Outra novidade nessa Bienal é o lançamento da graphic novel “O turno da noite”, para quem ainda não sabe o que é uma graphic novel, é uma adaptação para quadrinhos mais “chic”, digamos assim.

O trabalho do desenhista Denilson Santtos (e sua equipe) ficou primoroso. O Deivs Melo fez uma adaptação muito interessante do roteiro, deixando (como necessário) a linguagem do livro totalmente solta e bem HQ. Quem é meu leitor de longa data ou que conheceu “O turno da noite” recentemente vai adorar.
Fico feliz em ver “O turno da noite” chegando ao leitor em outras mídias. Lembram que esse blog começou por conta da adaptação de “O turno da noite” para seriado?

Veja aqui se não viu ainda: “O turno da noite – Episódio 1”

Vamos lá:

dia 12, domingo, 11hs, Espaço Jovem, com sessão de autógrafos às 13hs, no stand da Editora Novo Século.
dia 16, quinta-feira, 19hs, lançamento da HQ “O turno da noite – Escuridão Eterna” no stand da Livraria Saraiva.
dia 18, sábado, 18hs, noite de autógrafos no stand da Editora Novo Século.

Apareçam!

abraços.

André Vianco

As crônicas do fim do mundo – A noite maldita

Conforme prometido, assim que eu tivesse a capa definida para o novo livro (que está linda! criação conjunta de Christian Pinkovai velho de guerra e Denilson Santtos) eu postaria aqui no blog o primeiro capítulo de “As crônicas do fim do mundo – A noite maldita”. Logo abaixo está o link para você baixar a abertura do novo livro.
Bem, a primeira coisa que posso dizer e sei que vai agradar meus leitores é que o livro ficou enorme, chegando as 700 páginas de minha visão de como teria começado o fim do mundo que conhecemos e convergido ao cenário já conhecido para quem lê minha obra, encontrado em “Bento” da saga O vampiro-rei.

O primeiro capítulo é bem longo, de propósito, para situar quem lê, dando uma boa ideia do que esta por vir. Em “A noite maldita” vocês vão encontrar muitos personagens novos, como o heroico sargento do regimento de cavalaria Nove de Julho, o Cássio, e também vão encontrar muitos personagens das antigas. Divirtam-se.

André Vianco

A noite maldita

=
Acesse o link e baixe o primeiro capítulo em PDF e leia no seu tablet, celular ou computador:
As Crônicas do Fim do Mundo – André Vianco

=

%d blogueiros gostam disto: