Archive for the trabalhar com cinema Category

Fazendo O turno da noite

Posted in audiovisual, literatura nacional, novidades!, seriado!, trabalhar com cinema, vampiros with tags , , , , , on 07/27/2011 by André Vianco

Bem, a pós-produção do primeiro episódio de “O turno da noite” vem chegando na reta final. Demorou quase um ano para a pós ir chegando aos finalmentes e isso não quer dizer que cada episódio feito demore a mesma coisa. Como disse lá no começo, conceber um piloto é algo parecido como talhar uma forma para ser repetida depois. Com a receita pronta o andar da carruagem fica um bocado mais ágil e, também como disse antes, esse episódio piloto está sendo feito de forma independente, ou seja, o autor que vos escreve é quem está bancando essa aventura. Com investidores a coisa fica mais rápida, muito mais rápida. ^^

Veja ai logo abaixo um vídeo preparado pela Seven, a empresa que faz os efeitos visuais e a pós, mostrando os efeitos empregados na feitura do teaser de “O turno da noite – episódio piloto”. Vou colocar primeiro o teaser e depois o breakdown.

abraços.

André Vianco

O turno da noite e Parada de Taipas.

Posted in audiovisual, seriado!, trabalhar com cinema, vampiros with tags , , , , , , on 11/13/2010 by André Vianco

Eu sei que vocês estão roendo as unhas, mas acreditem, eu também estou. A fase da pós-produção é bem demorada. Toda a equipe do seriado “O turno da noite” está ansiosa para exibir o piloto e mais pirada ainda para entrar no set de filmagens para produzir o segundo episódio. Mas ai vamos depender de uma TV para veicular o seriado e bancar essa loucura que é produzir terror e fantasia para o audiovisual brasileiro.

Fora “O turno da noite” a vida segue seu curso, e segue bem. Esses dias passei pela biblioteca Érico Veríssimo em Parada de Taipas e lá conheci muitos leitores e frequentadores da biblioteca. Conversei com a turminha um bocado, fiquei contente com as perguntas interessantes que lançaram e falei um bocado da minha obra, minha carreira e sobre a transformação do livro O turno da noite em seriado. É, não tem jeito, onde quer que eu vá o seriado me persegue. hahhaha.

A editora Rocco já estipulou a data do lançamento do “O caso Laura”, como agora no final do ano a coisa ia ficar corrida, decidiram lançar a nova obra em março de 2011. Não chorem, falta pouco.

Vou deixar vcs com uma palhinha do making of, apresentado pela impagável Camila Guerreiro, outra que já perdeu as unhas faz tempo.

abraços.

André

Eles estão chegando 2

Posted in a vida como ela é, audiovisual, eventos, literatura nacional, seriado!, trabalhar com cinema, vampiros with tags , , , , , , on 10/19/2010 by André Vianco

Olá! Sábado passado segui de São Paulo a Teresina para a 11ª Feira do HQ da capital do Piauí. Lá fui muito bem recebido pelo professor Mario David, o quadrinista Bernardo e toda a equipe do evento. Logo de cara, no primeiro dia, fui brindado com uma apresentação de live action baseada no livro “Os sete”. Duplamente interessante para mim, que sou pai das crias e pelo fato de nunca ter assistido ou visto um live antes.

Domingo fiz um bate-papo com os leitores de Teresina, que apareceram em boa quantidade. Fiquei contente com a cordialidade dos leitores e a participação de todos. Mais tarde, às 11h30 da manhã aconteceu uma mesa-redonda com Mario David, Aristides Oliveira, Bernardo e eu. Falamos sobre a cultura do terror na literatura, no cinema e nos quadrinhos. No final do dia ministrei uma breve oficina de roteiro de HQ, me despedindo do evento.

O calor de Teresina é um capítulo a parte. Não tive nenhum ataque de “pilora”, graças aos céus, e junto com os organizadores do live action e da feira de HQ fui conhecer “O casarão”, um restaurante muito simpático, cheio de pedidinhas certeiras com seus pratos variados de comída típica piauiense. Vale o passeio.
Outro restaurante que descobri mais tarde com a dona Marisa foi o “Coco Bambu”. Dai fica a pergunta, pq não tem um Coco Bambu em SP? A comida é uma delícia, as bebidas bem feitas e com gostinho de desce outra e as sobremesas um espetáculo. Comi uma torta de banana que não erro em afirmar que foi a torta mais gostosa que já comi na vida.

A única coisa que sentimos falta no passeio, onde estive acompanhado pela minha esposa, foram de pontos turísticos para visitar na capital. É claro que passamos pela casa do Mestre Dezinho no centro da cidade, onde apreciamos o artesanato local e os doces e bebidas da região, mas faltou lugares para visitar.

Central de Artesanato Mestre Dezinho

Todo lugar mais bacana e com estrutura para o turista ficava a coisa de mais de 130km de distância, como Castelo do Piauí, Piripir, Sete Cidades, Cachoeira do Urubu. O litoral piauiense somava uma distância de 343 km de ida, uma distância razoável, mas impraticável para um bate volta. Dai que fomos então até a Localiza ao lado do aeroporto e alugamos um carro, um Novo Uno zeradinho, e pegamos a estrada. Os 340 km percorridos de ida e volta da BR 343 (e um pedacinho da BR 222) revelou um Piauí bem diferente do que eu esperava, com vegetação vasta e paisagens pitorescas que não combinavam com o sertão que tinha pré-concebido na mente. Tomamos rumo do Parque Nacional Sete Cidades, recheado de formaçãos rochosas milenares, pinturas rupestres e quetais. A rodovia, apesar da desvantagem da pista de vai e vém, é bem conservada, o limite de 80km por hora foi uma surpresa ruim, mas nem por isso deixei de me divertir com o Uninho. Gostei um bocado da relação de marchas e o modelo mil rendeu bem, com baixo consumo e uma pegada boa para um mil nas ultrapassagens. O senão ficou no porta malas do bichinho que, praticamente, desapareceu. Cheguei ao parque Sete Cidades faltando uma hora para ele fechar : ( fail… vi pouca coisa e sem guia. Tai um bom lugar para voltar. Em contrapartida tive tempo de visitar o que pode vir a ser meu novo hobbie, catalogar pequenos cemitérios sertanejos perdidos nos vilarejos desse brasilzão.

cemitério nos arredores de 7 cidades

Mas como bem sei que vcs pouco estão ligando para as minhas peripécias turismo aventurescas, vamos o que interessa. Uma nova foto de um personagem de O turno da noite.

Da um ligo no Bruno.

Vampiro Bruno

O Bruno será interpretado pelo ator Rafael Dourado.

Voltei para São Paulo na madrugada dessa terça-feira e, logo depois de um cochilo preguiçoso, voltei pro escritório para dar andamento no mundo de “O turno da noite”. Fazendo aqui de tudo para que vcs possam apreciar essa novidade na íntegra o quanto antes.

abraços.

André Vianco

Eles estão chegando.

Posted in audiovisual, literatura brasileira, literatura fantástica, literatura nacional, novidades!, seriado!, trabalhar com cinema, vampiros with tags , , , , , , on 10/11/2010 by André Vianco

Como ando em ritmo acelerado não está me sobrando muito tempo para alimentar o blog, mas não pense vcs que “O turno da noite” está estacionado. É que, como disse em post anterior, estamos na fase da pós-produção, fazendo a edição do seriado, deixando a equipe de finalização trabalhar.

Dimitri

Mas, como sei que vcs não se aguentam de curiosidade, de vez em quando venho aqui dar um aperitivo. Hoje posto a fotografia do grande Dimitri, matador de alguel e caçador de vampiros na horas vagas. Se tudo der certo esta semana também postarei aqui o prometido teaser do qual Dimitri é o protagonista.

Estou trabalhando diariamente na revisão do livro “O caso Laura”, que sai este ano ainda, e, nãos horas que me restam, supervisionando a primeira edição do episódio piloto pessoalmente. O que posso adiantar é que tanto o livro, quanto o seriado, estão ficando promissores. Logo mais posto novidades aqui.
Abraços.

André Vianco.

É agora: Silêncio no estúdio! Câmera! Ação!

Posted in audiovisual, literatura fantástica, literatura nacional, novidades!, seriado!, trabalhar com cinema, vampiros with tags , , , , , , , , , on 08/27/2010 by André Vianco

Farol verde e o Comodoro rasga a noite a milhão!

Sobrevivemos ao primeiro dia no set!
Mais do que isso, vimos tudo tomando vida como foi planejado.
Apesar de não termos completado toda a ordem do dia elaborada para a primeira investida, apesar de termos saídos exaustos do set, todos sairam muito mais confiantes. Digo todos porque eu sabia exatamente o que ia acontecer (exceto o atraso!), mas eu sabia que muitos da equipe nem sonhavam com a qualidade técnica que iríamos alcançar quando os atores estivem em cena e a magia da luz de cinema, maquiagem e figurino emprestasse a todos material para que aqueles atores “vivessem” as personagens de “O turno da noite”. O quarteto estava lá, Patrícia, Raul, Bruno e Alexandre. A primeira cena filmada foi justamente o encontro do quarteto com Ignácio. Quando o cenário foi tomado pelos atores, quando todos se prepararam a postos e rolou o primeiro: Silêncio no estúdio! Prepara! Ação!

O primeiro encontro

E a equipe ficou encantada. Para mim valeu o dia. Eles já estavam acreditando no projeto, dai ver o projeto vivo, e LINDO, foi como uma injeção confiança e empolgação. Não tenho dúvidas de que todos estão fazendo o máximo para que essa história chegue as telas com a maior qualidade possível.

Escolhemos usar a Canon 7D para toda a produção. Não podíamos ter escolhido melhor. As imagens estão ficando a coisa mais linda. É cinema digital de primeira. Sempre curti as câmeras Canon e suas opções de objetivas de linha profissional. Na primeira reunião com os fotógrafos (Maurício Machado e Wagner Malagrine) do seriado não foi surpresa descobrir que o equipamento que eles usavam em publicidade também era da linha Canon 5D e 7D. Isso facilitou um bocado nossa vida e nossas conversas para instruí-los e chegarmos a textura e luz que projetamos para as cenas de “O turno da noite”.

É. É ele mesmo.

Agora deixa eu parar de escrever aqui que já estão me chamando para direção de ensaio e finalização de ordem do dia para a próxima cena. A primeira cena do Comodoro do Dimitri será feita está noite. Cruzem os dedinhos ai para tudo continuar correndo tão bem quanto correu até agora, isso vai significar que no dia 12 de setembro teremos gravado a última cena e que em umas poucas semanas teremos a primeira exibiçao do seriado de TV numa tela de cinema para umas dezenas de sortudos.

Ah! Dia 30 faremos a gravação de uma cena no bar de uma amigo meu aqui em Osasco. Devo divulgar sábado e domingo o endereço para quem quiser ver um pouquinho disso de perto apareça por lá, uma segunda-feira a noite… claro… a noite.

abraços!!!

André Vianco

O Comodoro do Dimitri dando a primeira volta no quarteirão…

Posted in audiovisual, seriado!, trabalhar com cinema with tags , , , , , , , , , on 08/02/2010 by André Vianco

Sábado rolou o primeiro dia de filmagens com a equipe do seriado “O turno da noite”. Fizemos uma cena com 15 planos, contando uma historinha do Dimitri, que será um teaser para promover o seriado, aguçar as lombrigas de quem já está esperando esses personagens meteóricos tomarem as telinhas brasileiras.

Aqui está a primeira imagem do Dimitri

Para a construção dessa primeira cena foram onze horas de estúdio. A cena depois de editada terá dois minutos nas telas. Onze horas de trabalho de técnicos e produtores e diretores para sair na ponta dois minutos de filme. Isso só contando o dia de produção, sem contar as várias horas da pré-produção, de figurino, cenário, equipe de 3D, pessoal de casting, story-board e etc. É isso ai, nada mais normal e corriqueiro, sejam bem-vindos ao mundo do cinema. Hahahaha.

Nossa equipe deixou a produtora Criamundos às dez da manhã e o comboio de veículos e van tomou rumo do estúdio, deixando Osasco e tomando rumo de Cotia-SP, à beira da rodovia Raposo Tavares. Um primeiro dia no set era um dos grandes desafios do projeto, na real, é um grande desafio para qualquer projeto audiovisual. É quando avaliamos nossas escolhas e avaliamos o efeito de toda aquela equipe imensa trabalhando junto. Para um primeiro dia foi espetacular. O trabalho rolou com harmonia, a pré-produção deixou tudo certinho e não demorou muito para acertarmos o set com iluminação e objetos para rodar o primeiro take.

Na parte de maquiagem estava lá o grande Marcelo, que fez um trabalho muito bom para o teaser, ainda mais admirável se lembrarmos que neste dia ele estava sozinho, dando conta da figuração.

Grande maquiador, grande cara.

<a

Tudo correu muito bem, com direito a break para o almoço sob o comando da prestativa e cozinheira de mão cheia dona Sônia (mamãe!), que lançou uma macarronada arrasa-quarteirão, com direito a almôndegas defumadas. Adoramos. Duro foi levantar do cantinho do almoço para retomar a segunda metade do trabalho. Na moral, rolou uma zombie walk até o estúdio, todo mundo lento, babando e com olhar mortiço. Mas nada de soneca! É dia de ripar e mandar ver atrás de câmeras de cinema, de pequenas camerazinhas dos continuístas, produção de cenário, iluminação e tudo o mais.

Os planos mais complicados foram bem resolvidos e tiveram um efeito visual bastante convincente. O que mais me irrita em filmes que vejo por ai são cenas incríveis, que pecam em tolices e condutas um bocado ilógicas que acabam roubando a atenção do que de fato deve ser observado, não me ocorre nada agora para ilustrar, mas assim que lembrar, posto por aqui.

Foi legal encontrar por lá também meus leitores queridos, que se inscreveram para a figuração e logo no teaser foi preciso lançar mão de cinco vítimas torturadas figurantes que esperaram pacientemente até o grande momento de sua performance. Claro que eu fiquei preocupado com a harmonia dramática daquela cena e imaginei que poderia demorar um bocado até que aquele time conseguisse chegar ao ponto que eu queria. Sabia que teria que ser paciente porque eles não eram profissionais, mas olha que coisa fantástica, o time de figurantes matou a pau e conseguimos gravar o take deles quase que de primeira! Fiz mais algumas tomadas apenas porque a redundância é quase que uma padroeira num set de filmagens.
O ator que fez o Dimitri pegou bem o espírito do nosso Matador favorito. Sua atuação só melhorava conforme avançava o dia. Ainda não quero revelar muita coisa sobre os atores selecionados, porque como o Dimitri, assim que tiver uma TV fechada para exibir o seriado, farei alguns teasers para apresentar o time principal da série.
O diretor de 3D e efeitos visuais, Alan, acompanhou os trabalhos de perto e seus conselhos foram essenciais para que o material captado nesse primeiro dia estivesse dentro dos padrões para uma a boa execução da pós, sem sustos, logo depois do primeiro corte.

O resumo do primeiro dia é que, se depender da equipe, teremos um seriado fora de série. Foi um dia longo e a maioria terminou bem cansada ao final dos trabalhos, mas todos muito muito entusiasmados e doidos para que chegue logo o primeiro dia de filmagem do piloto. O piloto tem previsão para começar a ser rodado dentro de poucas semanas.

O resultado do teaser será postado em breve. É claro que vou fazer um suspensezinho básico antes de liberar o material, deixar vocês todos se roendo de ansiedade e tal e coisa, o que é praxe já. Mas logo posto um link aqui junto dos primeiros materiais do pessoal que está fazendo o makingof do seriado “O turno da noite”. Falando nisso, sigam @_metalheart no twitter, essa gata, dona Camila Guerreiro será o primeiro rosto do seriado que vcs irão conhecer. Ela é quem vai levar o leitor pelos bastidores da série.
Mas antes que me xinguem sobre a não exibição do teaser ainda essa semana, não se esqueçam que esta tudo sendo feito em padrões de primeira linha, nada de rasgueira. Então agora toda a captação de imagens vai para a edição de imagens, depois para edição de som. Depois para pós-produção de imagem e depois de som, trilha e etc. É, meus amados, ninguém disse que ia ser fácil ou que ia ser de mentirinha. “O turno da noite” é pra valer. Teaser no ar só no mês que vem.

Só posso agradecer a todos que estiveram lá trabalhando para que o primeiro sopro de vida nas imagens do seriado fosse dado. Obrigado de verdade. Vocês vão ajudar um sonho se tornar realidade. E não é um sonho só meu. É um sonho de muitos e muitos leitores e entusiastas da fantasia e terror nacional. É um sonho de muita gente que ainda nem sabe que vai sonhar com isso aqui. Termino o post novamente citando o sábio, o poeta e filósofo Raulzito: Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só. Sonho que se sonha junto é realidade.

href=”https://andrevianco.files.wordpress.com/2010/08/zzz_1930.jpg”&gt;

Câmera, luz, ação!

Posted in audiovisual, literatura brasileira, seriado!, trabalhar com cinema with tags , , , , , , , on 07/26/2010 by André Vianco

No próximo final de semana começam as filmagens. Ainda não entraremos nas cenas do piloto, mas já será um passo e tanto para a produção do “O turno da noite”.
Nosso primeiro dia de filmagem se destinará a produção de uma cena fora do roteiro para “ensaiar” todas as equipes de produção. A cena desenhada será usada como teaser do seriado e, assim que possível, será postado aqui no blog para vcs sentirem o gostinho da coisa.
Apesar de não ser uma cena complexa será nosso primeiro momento para sentir todos os ajustes dos times envolvidos, desde maquiagem, captação de som-direto, fotografia, equipe de 3D, figurino, equipe de produção e etc.
Por conta da correria para pôr o seriado em movimento e outros compromissos estou sumido aqui do blog. O bom é que a cada dia que passa estamos mais próximos da filmagem do roteiro e a cada dia mais e mais as coisas vão tomando forma.
O que mais me impressiona é o tamanho que o projeto está tomando. Uma coisa que comecei há poucos meses, só rabiscando no papel, como algo para comemorar esses dez anos de lançamento de “Os sete”. Decidi arriscar e bancar do bolso um piloto de seriado para uma hora. Roteiro feito comecei a buscar os parceiros profissionais para tornar realidade aquelas quarenta e poucas páginas de pura fantasia. E só quem trabalha com produção de audiovisual sabe o quando isso é complexo e ousado, ainda mais num país que não tem tanta tradição na produção de terror e fantasia para cinema e televisão. Fora o querido Zé do Caixão e uma ou outra novela, nossa produção de audiovisual para TV e cinema com a temática do terror ou fantasia para adulto nunca deixou o patamar amador. É verdade que ainda é cedo para dizer que ‘O turno da noite” vai romper por essa seara e se tornar algo marcante ou referência para aqueles que também querem trilhar esse caminho. Digo que é cedo porque ainda trabalhamos num piloto e, por melhor executado que ele seja, em todos os departamentos, e tenhamos nas mãos um produto de primeira linha para a TV brasileira, os meandros comerciais para que o seriado chegue as telas são tortuosos e às vezes incompreensíveis em nosso país. É uma hipótese, mesmo que mínima, de ficarmos apenas no piloto em um único capítulo do seriado. Contudo, com ele feito e divulgado ao menos vocês leitores terão um gostinho do que seria a série num tudo, uma ideia de onde poderíamos chegar. Mas, sinceramente, otimista que sou, acredito muito numa primeira temporada completa e cheia de sucesso. Os livros estão ai e mostraram a que vieram, cativando leitores de norte a sul do Brasil, encantando leitores de todas as idades, conquistando listas de mais vendidos, sendo resenhados e comentados em jornais e revistas. A série tem tudo para dar certo e o principal, o apoio real dos leitores, o apoio de muita gente boa envolvida. Tudo vai dar certo. ^^ Só estou aqui comentando coisas, deixando vcs a par de minhas alegrias e agonias, minha ansiedade, minha vontade de fazer isso acontecer e da melhor forma possível, afinal de contas foi para isso que criei o blog.
Um dia desses um amigo meu perguntou se eu não estava me expondo, expondo demais o projeto por estar postando aqui eventualmente os passos que damos. Ele disse que se nenhuma TV comprasse a série, que se isso não saísse do piloto poderia ser algo que muito humilhante para mim, expor um fracasso. Eu sorri e disse, relaxa, tudo vai dar certo. Não tenho medo de fracassar. Tenho medo é de pensar demais e acabar não arriscando nada. Deve ser triste chegar ao alto da ladeira da vida, chegar com até certo conforto, olhar para trás e suspirar, puxa, não tentei nada de grande até aqui. Apesar de, sim, o projeto do seriado “O turno da noite” ser um bocado arriscado, tendo concluído ao menos o piloto, ficarei um bocado orgulhoso. Foi muito parecido quando comecei com “Os sete” há dez anos. Peguei toda a grana que eu tinha e paguei uma gráfica para rodar mil exemplares do meu primeiro livro sabendo que a ideia era bom, mas também sem garantia alguma de que tudo daria certo. “Os sete” arrebentou, vendendo mais de 100.000 exemplares em seus dez anos de vida (graças a todo o apoio da Editora Novo Século e meus queridos leitores e leitoras). Por essas e outras só posso esperar o melhor dessa nova louca empreitada. Então, respondendo ao meu amigo, não, não vou me sentir humilhado caso fique apenas no piloto. Dar certo e dar errado faz parte do dia a dia de quem está tentando fazer coisas diferentes na vida. E como dizia meu velho amigo Raul: É chato chegar a um objetivo num instante.