Archive for the coisas Category

Hey, Astronauta!

Posted in a vida como ela é, coisas on 07/24/2018 by André Vianco

 

Hey, Astronauta!

 

 

 

Ei, astronauta, liga o rádio ai um tiquinho. Eu tou do outro lado da nave e quero fazer uma transmissão.

A nave está perdida, mas está tudo bem. Uma coisa que aprendemos primeiro no treinamento específico para cruzar as estrelas e testemunhar a grandeza do Cosmo é que assim que ligamos os motores e partimos do espaço-deck, a nave já sai perdida. Em nosso mundo de jargões de comandos e de decisões que implicam em cálculos de velocidade e distância, em minimizar perdas, não computamos mais as toneladas de aço e ligas metálicas extraídas das entranhas da nossa Terra-Mãe. Aquilo vira outra coisa. A coisa que vai para Andrômeda

Um brinde à você astronauta.

Toneladas.

Andrômeda está vindo mesmo, vindo quente, falaram em 230 mil quilômetros por hora, astronauta… a gente move a essa velocidade também dentro dos limites da Via de Leite. Então, a qual velocidade a nave se move agora? Eu faltei nesse dia do treinamento.

A nave está perdida, mas, astronauta, sorria, queixo erguido, essa nave nunca foi nossa de verdade. Temos nossos trajes pesados e grossos e os capacetes que, quando precisamos, travamos e encalacramos dentro dessa coisa vistosa e reluzente tudo o que é necessário para continuarmos respirando. As vezes, astronauta, lembra do treinamento, só precisamos respirar. Pode estar difícil, mas respirar não é só tecido e nervos, capilares receptores e transformação de moléculas… respirar é preciso.

Ontem captei ruídos vindo de Andrômeda. Eram vozes diferentes. Vozes estranhas. Elas falavam de você astronauta. Falavam coisas que eu não queria ouvir. Levantamos nossos copos lá no deck do bar. Cheers! Cheers up! Ainda que seja egoísta, quando estamos escondidos no deck do bar, no cantinho escuro da nave, com nossos rádios ligados, captando risadas e aglomerados de estrelas que nos enviam sinais de bonança… estamos meio que rancorosos porque os astronautas querem ir embora. Somos crianças às vezes. E não vou pedir desculpas por isso, astronauta, lamento, mas não quero virar essa coisa para mim e nem para o seu engenheiro, o papo não é sobre a gente, mas só sobre nosso desejo de que você fique em paz e saiba que os botões estão verdes, a nave segue firme. Vai balançar no cinturão de asteroides, mas os diabos dos arcaicos, porém eficientes, giroscópios estão ai para que? Eles vã fazer o trabalho deles.

Levanta a cabeça. Todos os botõezinhos aqui estão no verde e você treinou uma equipe maravilhosa capitão. Eles farão o seu melhor, mas eu não duvido, nem por um segundo, que quando o primeiro alarme tocar, capitão, seu pequeno e treinado astronauta engenheiro número 2 da sua equipe saberá o que fazer.

Astronauta, falamos lá dos nomes que gravam no patch em nossos peitos, e rimos muito de tudo isso porque Andrômeda está vindo e esses nicknames tolos, esses avatares de quem somos ou queremos ser, gravados fundo em nossos uniformes são tão bestas, não é? Olha a distância. Vai demorar ainda. Andrômeda está longe, longe, mas é inexorável. Ela chegará e pronto. E não se preocupe com o choque de átomos. Os átomos se chocam o tempo todo, astronauta. Eu não faltei a essa aula. Astronauta, faz o seguinte… O nome que gravaram no patch do seu uniforme está com uma letra invertida. Não pense nisso. Feche o capacete, desligue os receptores de voz sintética. Apenas as vozes da sua equipe chegarão ai dentro se você quiser, nesse casulo do bem que vai lançar oxigênio ao seu redor. Tá, você vai ficar isolado e com frio, vai lembrar do dia em que você nasceu e também do dia que lhe disseram sobre Andrômeda e quando puseram a porra toda dessa nave, rangendo, sem a gente entender direito como segurava o manche, tocando a zilhão pelo tecido negro do espaço sideral, a milhão. A gente nunca presta atenção na primeira aula de Andrômeda e isso não é uma bronca, astronauta. Você já se fechou no seu módulo de brilho, imponência e suporte de vida. Se quiser saltar no escuro e experimentar como é estar lá do lado de fora da nave, ok. Você é o chefe aqui.

Conversa comigo, astronauta. Quando eu visitei sua cabine pela primeira vez eu tinha o quê? Seis anos, e ainda não eram sete. E falamos sobre palavras e eu ainda não sabia dizer sobre o que eu gostava, mas eu gostava de falar e, de alguma forma esquisita, quando falamos as palavras se enfileiram numa cadeia e deixam nossa boca batendo em moléculas e, elas já têm significado dentro de nós, as jogam ao mundo uma mensagem, a merda é que essa mensagem vibrante que rasga a distância e atinge os tímpanos deveriam atingir a pele primeiro… e eu falei que a nave devia pesar muitas “torneladas”. Você riu muito aquele dia, astronauta, até chorar. Você e o seu engenheiro, membro número dois da equipe porque eu sempre contei os co-pilotos como número 1. Vocês riram de mim porque eu disse “tornelada” e então fizeram a coisa mais sublime que existe na vida de um astronauta que também está dentro da nave que vai para Andrômeda. Você me ensinou uma nova palavra e que “tornelada” era tonelada e quando enxugou as lágrimas dos olhos, parou grave, em frente a mim, com seu uniforme reluzente, cheio de leds acesos e fios e canos e se ajoelhou bem ali na minha frente mesmo, tocando o chão de cacos de azulejo da nave e botou a mão no meu ombro e explicou, seríssimo, o que tonelada significava. Além do tonel, que eu nunca ia entender naquele momento, tinha também a coisa de não existir R no meio, a capacidade que dava para um comandante determinar como o motor ia se comportar com a movimentação de tanta massa, e chegamos pela primeira vez às dracmas (que me fascinam até hoje, astronauta). Nem você e nem eu sabíamos que ia me alimentar de palavras por um longo tempo e que, algumas vezes (olha, isso não é uma queixa não, os astronautas tem um montão de coisas para fazer) tudo o que eu tinha para estofar meu uniforme em noites de treinamento e incerteza eram novas palavras que recebia quando abria as antenas do meu radar.

 Você é um astronauta incrível. Foda-se Andrômeda. Eu nunca ligo para a velocidade de Andrômeda, mas hoje eu fiquei com raiva, a canjica estava ótima, os nomes faltaram letras nos trajes espaciais. No treinamento ensinam muito como a raiva é uma coisa que se esparrama e que não podemos trazê-la para dentro da nave. My bad.

Hey, Astrounata. Você é incrível e sua jornada até aqui tem sido muito boa.

Tears. Tears up!

Te amo meu amigo. Liga a porra do oxigênio e respira e olha para a sua equipe e explica parar eles o que é o caralho de uma tonelada nas costas.

Nos vemos em Andrômeda. Fim da transmissão.

O que vem por ai.

Posted in audiovisual, coisas, literatura fantástica, literatura nacional, novidades!, trabalhar com cinema, trabalhar como escritor with tags , , , , on 01/21/2016 by André Vianco

Olá, leitores e leitoras!

Meu ano já começou bastante corrido. Apesar de eu passar a maior parte do tempo dentro do meu escritório, na Criamundos, a cabeça não para. São tantas ideias e tantas coisas para contar e para fazer… queria dias com 36 horas ou mais, hahahaha.

Mesmo em casa fico falando de minhas histórias e meus mundos imaginários que, aos poucos, vão vindo para o mundo real.

Esse ano a Criamundos está trabalhando para que nosso primeiro longa de baixo orçamento seja realizado, com a ajuda dos fãs, vamos lançar o projeto numa plataforma de crowdfunding. Apesar de já termos uma boa ideia do tamanho do filme e do jeito que ele será feito, com poucas diárias e poucos cenários para garantir que o orçamento fique realmente baixo, estamos todos entusiasmados aqui com as possibilidades. A história é muito boa e segura a recepção da primeira a última cena. Já escaletei o filme (que é fazer um resumo do que acontece em cada cena) e estou partindo para a escrita do mesmo. O título por hora é o sugestivo “Ao meu redor”.

Eu sei que um monte de gente vai comentar que eu deveria parar de perder tempo em fazer essas histórias pequenas e fazer logo “Os sete” ou “O Senhor da Chuva” e “O vampiro-rei”. Tá legal, sabichão, só você é genial o suficiente para pensar assim! Acontece que cinema é cara pra caramba e para começar tem que ser assim, devagar, na manha e na moral porque a indústria de cinema nacional, apesar de parecer imensa, se você tirar toda a grana que o governo injeta nas produções, é praticamente inexistente e são esses filmes menores em orçamento que fazem a coisa acontecer de verdade. Calma ai que “Ao meu redor” é uma puta história, com personagens incríveis e vai ser parte do processo pra levar a gente do cinema independente para um dia, algo mais audacioso como “Os sete”.

Na parte dos meus livros, Dartana sai esse ano, esperando que saia no primeiro semestre ainda e antes do fim do ano teremos outro grande lançamento porque já estou concebendo e investindo tempo no desenvolvimento do enredo e dos personagens que viverão “As crônicas do fim do mundo”.

Também tenho me dedicado ao curso online, “Da ideia ao livro”, se você escreve ou tem vontade de escrever um livro, sabendo técnicas que eu conheço e usando dicas que eu dou a todo escritor e roteirista, não perca chance de participar.

Terei aulas em janeiro e fevereiro, depois tenho que dar uma parada para que o livro novo seja escrito.

Visite o site Vivendo de Inventar e veja qual é a melhor data para você que tem ideias de montão, mas ainda não sabe exatamente como organizá-las para ter o seu livro escrito.

Segue o link:

Aprenda a organizar suas ideias e a conquistar leitores.

 

yay-12357536.jpg

 

 

Pintando por aqui.

Posted in a vida como ela é, coisas with tags , , on 02/16/2011 by André Vianco

Ontem a tarde fui pintar minha tatoo de dragão. O trabalho do tatuador Marcos é muito bom. O site dele parece que está fora do ar no momento, mas deixo aqui o link para vc tentar mais tarde porque o site é muito maneiro www.tribaldelic.com.br Se disser que é leitor do Vianco ainda ganha desconto.

Eu sou um cabra macho, cascudo e só costumo reclamar de incomodo quando tenho cólica renal e olha lá, mas vou ser sincero, ontem a sessão de tatoo doeu pra caralh***, uma hora deu vontade de levantar, pegar aquela maca dos infernos e quebrar nas costas do tatuador. kkkkkk.
Ele explicou que estava aplicando um efeito degradê nas escamas do bicho e por isso precisava voltar com tinta mais clara em cima de onde já tinha tatuado e fincando aquelas agulhas infernais. Bem, a boa dica para quem quer entrar nas agulhas infernais pra estampar arte no corpo é abstrair. Respire fundo e mande ver. No final das contas, das milhares de picadas, se vc escolheu o desenho certo e o tatuador certo, pimba, tem um lance legal estampado na derme.

Fora a dor excruciante que vc joga pra debaixo dum tapete no cérebro, as sessões de tatoo são bem relaxantes. hahahaha. O tatuador deve ser um tipo de terapeuta, pq fica lá 2 a 3 horas trocando ideias, batendo-papo e, inevitavelmente, tatuador e tatuado acabam entrando em papos mais cabeças e sobre as coisas mais comezinhas da vida.

Estou postando essa foto, a tatoo não é em 3D, é minha pele que tá inchada ainda, a sessão foi ontem as 18h, por isso o braço tá lambrecado de pomada. Quando tiver terminadinha posto outra foto aqui pra vcs.

abraços.

André

Não, a tatto não é 3D, é que a minha pele ainda está inchada mesmo.

Um ano novo, um mundo novo.

Posted in a vida como ela é, coisas, novidades! with tags , , , , , on 01/03/2011 by André Vianco

2010 passou rápido como cometa e 2011 já está ai, com as horas correndo, cheio de dias novos para vermos e fazermos coisas novas.

A agenda deste ano promete, tanto para mim quanto para meus leitores queridos. Primeiro que em março sairá “O caso Laura” pela editora Rocco, um segundo seriado, ainda secreto, já esté em pré-produção para presentear todos nós. O piloto do seriado “O turno da noite” terá sua pós-produção concluída nestes primeiros meses e logo devo exibí-lo a todos vocês e, o mais importante, quem sabe já não tenha conseguido uma TV para exibir uma possível temporada completa.

As ideias não param e as boas novas também. Com os trabalhos de pré-lançamento de “O caso Laura” concluídos poderei me dedicar aos outros livros já começados, como “A noite maldita” e um segundo, de alta fantasia, com feiticeiras, soldados e deuses de outros mundos.

Ainda estou aqui em casa, em Osasco, cuidando da minha caçulinha… o anjinho tá com a asa quebrada. Peraltices de crianças, de irmãs, rendeu uma fratura quase no punho da dona Bruninha. Rádio e ulna. Dos males o menor, é uma fratura chatinha, mas ao menos não foi exposta e a recuperação, de acordo com o médico, será 100%. Mas vai dizer isso prum papai faixa preta 3º dam. Não tem jeito, a preocupação consome até os ossos. hahaha.

Natal em casa, 2010

Giulia, Nathalia e Bruna (o anjinho da asa quebrada).

Espero que antes do final de janeiro ela esteja liberada para novas estripulias e possamos pular na piscina, no mar, no rio. E vamos que vamos.

O turno da noite não é só letra, o turno da noite não é só movimento…

Posted in audiovisual, coisas, literatura brasileira, literatura fantástica, literatura nacional, novidades!, seriado! with tags , , , , on 09/17/2010 by André Vianco

“OTN” também será HQ, saindo das mãos talentosas do artista-quadrinista Denilson Santtos. O cara manda muito bem e tempos atrás me procurou com a vontade de verter uma das minhas narrativas literárias para o mundo do HQ. Como meus leitores, orfãs da série “Vampiros do Rio Douro” estão sedentos por mais quadrinhos, conversamos e conversamos e iniciamos o projeto de passar “OTN” para esse novo suporte. Pelas provas que vi até o momento estou certo de que será um sucesso também os quadrinhos de “O turno da noite”.

O turno da noite

Ontem terminamos o último dia de gravação, a última cena do seriado, onde estavam presentes Ignácio, Isabela e Bert. Esse episódio piloto irá apresentar a maioria das personagens da série.
No fim dos trabalhos de ontem não podia ser diferente, muita bagunça, cerveja e um churrasco de primeira tocado pelo fotógrafo Wagner Malagrine. Além de ótimo fotógrafo, um churraqueiro de mão cheia. Pou, fera, vc tem mesmo bala na agulha, hein! hahahaha!

Toda a equipe já cobrando os inícios do trabalho do segundo episódio. Entrosamento é o que não falta com a galerinha. Bem, agora é só montar o episódio piloto, colocar debaixo do braço e apresentar para as grandes TVs. O bom é que já tem gente esperando pra ver e acho muito difícil que vcs leitores fiquem sem “OTN” nas telinhas brazucas.

Viajo para Brasília amanhã e durante a semana estarei participando do programa “Viagem literária” promovido pela Secretária de Estado da Cultura – SP, que é um projeto que eu apoio, onde vou para algumas cidadezinhas e visito leitores nas bibliotecas municipais daquelas cidades. Contudo, infelizmente, ficarei bem atarefado e pouco vou produzir para o seriado nesses dias. Sem contar que estou me dedicando a revisão do livro “O caso Laura” para que vcs o leiam ainda este ano, não é. Mas postarei novidades assim que possível a cerca do seriado.

Assim que rolar toda a pós produção do episódio vou marcar aquela noite especial de exibição em cinema, fiquem de olho aqui no blog para não perder essa chance que será única.

Bjs para todos e hoje em especial um beijão e abração para toda a equipe que esteve envolvida na produção do já inesquecível piloto de “OTN”. Cada um de vocês foi importante, todos sentiram a pressão de uma grande produção, feita em moldes de cinema, com mil coisas para ficar de olho durante as gravações, horas sem dormir, dias sem dormir, horas no set, horas esperando figurino, cenário, maquiagem, iluminação, som em posição para finalmente ouvirem o já famoso: Prepara! Som foi, vídeo foi, claquete, ação!

Parabéns para todos vocês.

Saudades já de estar no set.

E agora, corta!
hahahahaha.

Novidades OTN e eventos

Posted in coisas, eventos, literatura brasileira, literatura fantástica, novidades!, seriado! with tags , , , , on 09/09/2010 by André Vianco

Bem, não tou postando nada de novo porque estamos chegando a reta final das gravações do primeiro episódio do seriado O turno da noite.
Ainda não sei onde isso vai passar, mas é certo que algum canal vai se interessar pela série, tá ficando muito bem feita, linda linda e dentro dos padrões técnicos de broadcast. Assim q terminarmos as gravações, faltando agora só mais 3 dias de trabalho, posto novamente novidades, como fotos, trechos e etc.

Hoje será feita a primeira cena do vampiro Samuel em “O turno da noite”, episódio piloto.

^^

Vamos aos eventos do mês e começo de outubro.

Eventos setembro e outubro 2010

18 e 19, Brasília – DF, evento: Epiccon mais informações no site www.epiccon.com.br

21 de setembro, começa minha “Viagem Literária” com primeiro encontro com leitores na cidade de Taciba-SP (pertinho de Presidente Prudente), 9h, local, biblioteca municipal.
No mesmo dia, 21 de setembro, estarei às 14h, na biblioteca municipal de Anhumas, para o segundo bate-papo com leitores.
Dia 22 de setembro é a vez de Caiabu às 10h. Mais tarde vou para Presidente Venceslau, fazendo o quarto bate-papo às 15h, também na biblioteca municipal.
A “Viagem Literária” termina em Rancharia às 10h do dia 23 de setembro.

Os eventos do “Viagem Literária” são promovidos pela Secretaria de Estado da Cultura, são gratuitos, leitores que moram nas redondezas podem aparecer para participar.

Em outubro estarei dia 7 em Curitiba, para a Bienal do Livro do Paraná, participando no Café Literário de um bate-papo com leitores às 19h30, o tema do encontro é “Literatura pop e de entretenimento, que gênero é esse?”.

Ainda em outubro, nos dias 16 e 17 estarei em Teresina-PI, participando da Feira HQ.

Apareçam!

Abraços

André Vianco

Olha a coleção inteira ai na Submarino, quem vai querer?

Posted in a vida como ela é, coisas, literatura fantástica, literatura nacional on 05/29/2010 by André Vianco

Mulher bonita não paga, mas também não leva!

Essa semana a submarino colocou no ar um hotsite com todos meus livros a módicos R$ 159,90 (é, vc leu certo, é a coleção toda, excetuando o novo “O caminho do poço das lágrimas”)

O barato é que quem aproveitou já está recebendo seus livros. Igual o seguidor do twitter, @livrosemserie que já tratou de postar o pacote recebido. hahaha. Um montão de gente está postando as fotos por lá. Interessante isso.

Olha o que o correio trouxe hoje: "Sussurro", "Caçada" e a c... on Twitpic

A internet traz uma força de partilhamento difícil de mensurar. Tipo, chegou, clicou, postou.

Poste lá pelo twitter sua foto, com um @andrevianco junto que eu coloco aqui no blog. Não precisa ser exatamente a foto da coleção de livros inteirinha, pode ser qualquer curiosidade q envolva vc leitor/a que quer partilhar aqui com os leitores desse singelo blog. hahahahah.

Meninas de corset e maquiagem dark preparadas pras baladas góticas podem mandar fotos??? Podem, eu deixo. hahaha.

Abraços.