Arquivo de dezembro, 2011

Foi mágico!

Posted in a vida como ela é, audiovisual, eventos, literatura brasileira, novidades!, seriado!, trabalhar com cinema, vampiros with tags , , , , , , , , , on 12/12/2011 by André Vianco

Até agora estou revivendo os momentos daquela noite de terça-feira, 06 de dezembro de 2011.
Depois de uma chuva descomunal (coisa que sempre antecede meus eventos! #fato) os céus de São Paulo se apaziguaram e deixaram vir uma noite bem agradável. Cheguei com o pessoal da Criamundos, com o meu carro cheio de tralhas para o buffet que providenciamos e comecei a subir as caixas de pro secco que seriam servidas durante a noite (Poxa, no fim de semana fui a São Roque para comprarmos um bocado de vinho e ganharmos umas boas caixas do pessoal da vinícola Góes – obrigado ai pessoal!) e levando tudo para o saguão do cine Olido. Tá, vocês ainda pensam que escritor no Brasil é só glamour?! Hehehehehe! Se quer ter vida de popstar aprenda a tocar algum instrumento, a cantar e monte uma banda tipo Restart. O Leo Granado já estava lá na porta do cinema com a noiva e a mãe e é claro que ele já se prontificou de pronto para ajudar. O Leo é daqueles amigos que se um dia vc for pra guerra vc vai querer por perto, não tem braço curto e é sempre prestativo, além de ser um ótimo produtor (tirem os olhos que ele já é da Criamundos). Logo, com a ajuda da galera, a saber: Marisa, Andréia, Luna, primo Phelipe e Camilla Leite a recepção já estava armada. Uma hora antes do combinado O pessoal começou a chegar e se juntar formando aquela muvuca deliciosa de pré-estréia. Que coisa boa. Foi uma noite bastante emocionante, ver lá minha mãe, tias, primas e primos, todo mundo contente, os leitores mega-ansiosos para conferir na tela como as coisas tinham ficado.
Tinha tanta gente, tanta gente, que as duas sessões ficaram lotadas, coisa de 450 pessoas. E eu fiquei que nem barata tonta, tentando falar com todos os amigos e bater papo com os leitores, mas estava impossível.
Então chegou a hora, tive que ser arrastado do saguão para a sala de cinema, aquele escurinho gostoso, e o coração palpitando porque estava chegando a hora mágica (ficou meio gay isso, mas ainda estou emocionado, porra!). Falei algumas palavras, agradecimentos, a jornada. Depois veio a Marisa Samogin, esposa, mamãe das nossas filhotas (um capítulo a parte aqui para o blog), e diretora de produção megera irrascível, hehehehhe, como toda produtora de produção tem que ser. Acho que para mim foi a hora mais emocionante da noite, vê-la lá, apesar de nervosa, confiante, linda de preto (sempre foi coxuda essa mulé), falando para uma platéia de mais de 200 pessoas, toda emocionada, quase chorando, mas nem um pouco intimidada…. e quem conhece a dona Marisa sabe do que eu tou falando, ela é a timidez em pessoa para falar em público, e passou esse gene para nossa caçula Bruninha, mas falou bonito, agradeceu mais do que eu todo mundo que ajudou e colaborou para que o piloto de “O turno da noite” virasse verdade.

Foi muito bem ver os olhinhos brilhando dos leitores que acompanharam a materialização das palavras escritas em “O turno da noite” para a tela grande. Parece mágica né? Mas não foi mágica. Foi fruto de muita ralação de uma equipe imensa e corajosa que acreditou nesse sonho, como o Alan, da Seven Creative Visual Solutions (apesar do nome cheio de pepepê é uma empresa brazuca por natureza) e de toda a equipe da Seven que fez acontecer paredes explodindo, sangue percorrendo tecidos, disparos de armas e fogo e tudo o que um seriado de ação precisa ter e mostrar com competência. O Wagnão e Maurício Machado da M.3, estou para ver dupla mais bem humorada e disposta que aquela. Disposição é algo imprescindível em cinema, quando as gravações tem hora para começar, mas nunca tem hora para acabar, hahahaha. Agradeço também o querido Bruno Fai, o assistente de direção que sempre estava atento a detalhes importantes e buscando soluções para os empecilhos que iam surgindo no caminho. Toda a equipe de pré-produção foi fantástica também. A pré-produção é responsável por erguer a espinha dorsal do projeto e também funcionou como um Imozec da vida, reduzindo o cagaço do diretor a zero quando chegou o primeiro dia de filmar. Agradeço também aos atores que apostaram no projeto emprestando para nossa equipe seus talentos, rostos e voz, permitindo repetir aqui uma expressão; permitindo dar vida ao que só estava no papel. Enfim, agradeço a todos e todos que participaram do projeto, a grande maioria sem ver um centavo, mas cheios de vontade para fazer acontecer, recheados de pão de forma com queijo e presunto para ficar de pé.
Tenho que agradecer também aos leitores e amigos que ajudaram a concretizar a premiere, como o Jaime da Gráfica Sakura, os amigos da Livrarias Curitiba, a fotógrafa Cássia, da Cassiandri, que fez a reportagem fotográfica, a querida Andrea DeBonis, que fez o nosso “sanguinho engarrafado”, ao pessoal do sul que nos enviou o hidromel (os leitores adoraram! hehehe) da YGGDRASILL, ao pessoal da Galeria Olido também, que cedeu a sala de cinema, a prefeitura mandando bem na Cultura da cidade e não podia faltar também o meu muito obrigado a editora Novo Século que ajudou a custear parte da finalização do episódio piloto. Muito bom.

Dessa experiência a Criamundos, a M.3, a Seven e todos os profissionais sairam mais fortalecidos e mais experientes. Novos desafios virão e novamente veremos salas de cinema cheias de gente curioso para saber que loucura estamos aprontando dessa vez.

Primeira exibição em cinema

Posted in a vida como ela é, audiovisual, eventos, literatura brasileira, literatura fantástica, literatura nacional, novidades!, seriado! on 12/06/2011 by André Vianco

Pois é, chegou o dia. Hoje minha primeira produção audiovisual de peso vai para a tela de cinema. Td bem que ainda não é o nosso sonhado longa, posto que é o episódio piloto do seriado “O turno da noite” destinado para a TV brasileira, só aguardando o desenrolar das negociações com os canais interessados, mas, estará no universo mágico da grande sala escura, projetado na imensa tela branca, assistido por uma platéia. A qualidade do piloto é cinematográfica, a impressão de assistir a obra em Full-HD não deve nada a uma projeção em 35mm, garantindo que a noite vai ser emocionante.

Já agradeci uma porção de vezes, mas volto a agradecer a todos os envolvidos, a começar pelos meus leitores, indo para as editoras Novo Século e Rocco que acreditam no meu trabalho e se esparramando pelos fotógrafos competentes do piloto, Wagner e Maurício da M.3, ao trabalho espetacular da Seven e de toda a equipe do Alan, dos produtores que se juntaram a Criamundos, a Marisa que esteve capitaneando toda essa tropa, Camila, Andréia Melo, Luna, Leonardo, Ricardo, Camila Guerreiro, Vedo, Fê, todos os atores e todos e todos que ajudaram a mim e minha neofita empresa produtora de audiovisuais. (snif) hehehehehe.

Já temos novos projetos que começam a partir de amanhã a deslancharem rumo a produção e espero que ano que vem tenhamos mais uma noite de tirar o fôlego em uma dessas salas de cinema do Brasilzão.
Espero também, de todo coração, colocar todo esse time de novo para produzir o segundo, terceiro e a primeira temporada completa de “O turno da noite”.

Até mais tarde.