A produtora CriaMundos

Bem, muita gente anda perguntando se já tem uma produtora interessada no projeto “O turno da noite”. E eu sempre respondi que é um projeto independente, uma coisa que eu estou fazendo no intuito de, principalmente, comemorar os dez anos de lançamento do livro “Os sete”, uma forma de presenter os leitores fiéis esses anos todos e também presentear a mim mesmo que sempre imaginei as personagens dessa série ganhando vida.
Contudo, já há algum tempo eu tenho uma produtora, que vem criando apenas ideias no papel para seriados (é eu já tenho mais dois seriados escritos, fora dos meus mundos já conhecidos em literatura) e venho perseguindo o sonho de produzir meu primeiro longametragem. Nessa busca já dirigi dois curtas, o primeiro ficou com um resultado meio tosquinho em termos visuais e de finalização, mas o segundo ficou muuuuito bom. O primeiro “A flor” está lá no meu canal do youtube e o segundo, baseado no meu conto e de mesmo nome “A última partida” contém apenas o trailer. O que esses filmes me ensinaram? Muita coisa e o principal e o que mais acredito, uma boa história pra contar já é meio caminho andado e que dedicação a captação de som é tudo. hahahaha.
Em tempo, gosto muito do “A flor”, comparando com minha literatura, lembro muito de minha primeira tentativa de um grande romance, quando eu tinha, sei lá, 18 anos. Escrevi um livro “A alma da espada”, que contava a história de um rapaz que dirigia perigosamente um “muscle car” e, para não atropelar uma garotinha, joga o carro na traseira de um caminhão estacionado. Quando ele abre os olhos está lá, no limbo, com a chance de voltar para casa em suas mãos. É uma típica aventura adolescente num mundo de magia e fantasia total, onde recebe ajuda de anjos, uma gangue de gorilas robôs e um caminhoneiro apaixonado, cruzando as estradas de Setembro Deserto, o nome da terra onde está. Resumindo, é um livro escrito de forma rude, totalmente amador e, talvez justamente por conta disso, escrito por um moleque extremamente apaixonado por contar histórias. A história é ardente. Já no meu primeiro curta, a história é emprestada de Carlos Drummond de Andrade, do conto, Flor, telefone, moça. Uma jóia do terror nacional. Mas ali vi que meus roteiros audiovisuais funcionam, que escolher uma equipe funciona, que dirigir é possível, que pós-produzir é possível e etc. E ainda que eu ache o resultado do curta muito razoável, quando se mexe com arte é preciso preservar um alto senso crítico. Colocando na dimensão de aprendizado, ficou ok. Agora, passando “A flor” para a dimensão de produto broadcast, sem chance. Tecnicamente é fail. hahahaha. Mas estamos falando ai de um filme feito com pouco mais de hum mil reais. Já o “A última partida”, que ficou muito melhor, mal passou de 3 mil reais de produção e pós.
Agora, a produção do piloto do “O turno da noite” vai demandar muito mais recursos, principalmente para ter uma equipe capaz atrás das câmeras para fazer a magia da fantasia em movimento acontecer, fazer, por um instante, vc acreditar naquilo que está diante de seus olhos, com um esqueleto formado pelo roteiro e a história, muito poderoso e que vai ajudar demais, mas para esse bichão tomar forma é preciso muito mais que ossos. Os músculos, tendões, sangue, alma, virão de outros departamentos, como direção de arte, captação de som direto, folley, direção, fotografia, efeitos visuais, montagem e muitos outros profissionais que ajudarão o Comodoro do Dimitri passar rasgando na telinha e vc torcer para se arrebentar de frente com uma porta e cair dentro de um covil de vampiros soltando de um lado o conhecido Matador e do outro o paladino Tobia, com armas e munição o suficiente para fazer o Charles Bronson ter um orgasmo.

Minha maior vontade é que essa brincadeira toda (tá! é trabalho, feito por profissionais, mas desculpa ai se é divertido pra caralho quando um filme dá certo!) não fique apenas no piloto. Vou usar de todos os canais possíveis e toda minha energia para que esse piloto inflame e as labaredas incedeiem também os distribuidores, canais de TV fechada ou aberta para que o seriado se concretize. Vira um frio na barriga? Sim, sem sombra de dúvidas. Não só por reconhecer que um seriado desse porte é inédito na TV brasileira, sulamericana, mas por imaginar lobos escapando de tanques de postos de gasolina, Calíope e suas curvas fantásticas seduzindo o pobre coitado do empedernido capitão Brites, Yuli fugindo do Grupo de Contenção, Jó despertando no templo do Deus Noite, cercado por seus fabulosos guardiões curupiras… é, serão imagens para ficar na memória.

Minha produtora é a Criamundos, é, por hora, a única responsável pela tarefa de transformar esse sonho em realidade, pelo sucesso ou fracasso da tentativa e torço para que logo vcs ouçam falar um bocado dela. ^^

abraços,

André Vianco

11 Respostas to “A produtora CriaMundos”

  1. Deyse Says:

    Nooossa! Não sabia mesmooo que você estava com esse projeto!
    A partir de hoje, estou torcendo pra que não fique só no piloto, mas que essa série dê certo e entre pra minha lista de seriados que viciam! 😉

    To ansiosa! \o/

    Abraçoo

  2. Camila Says:

    E nos fãs tb estamos na torcida
    Boa sorte vianco
    e muito sucesso!!!!

  3. Cris Fernandes Says:

    andré, acredito mto em vc como profissional, e apesar do que vc diz sobre A FLOR não ter ficado aquelas coisas, todos envolvidos estavam começando juntos, e eu criei um carinho grande, porque a garra e a vontade de fazer acontecer foram marcantes, e só quem tava lá pra saber o valor de tudo isso.
    Imagina agora, vc vai arrebentar…porque além dessa garra e paixão vc traz na bagagem experiência!!!
    ahhhh, tem Marisa e Aline tbm!!!

  4. henrique Says:

    pena não dá pra gravar 3D…. :S

  5. Carla Says:

    Estou acompanhando tudinho dessa produção na maior torcida positiva por aqui. Ahhh seu eu pudesse já tinha enviado várias fotos e currículos, mas não posso, para mim é um tantinho complicado sair da vida real e entrar na vida de sonhos. Mas o seriado vai ser um sucesso, a história tem tudo para que der certo. Sempre na torcida positiva…..

    Mande o seu endereço do youtube, fiquei curiosa para ver este trailer e esta produção que estão na sua página lá!

  6. marcia Says:

    Amamos o que vc escreve e tenho certeza que adoraremos os seriados e filmes que vem por ai. Que Deus ilumine seu caminho e abra as portas e janelas para vc. Depois que conheci seus livros (já li todos) minha vida ficou mais “fantastica”. Ñ vou poder acompanhar de perto as produções, pois moro em Roraima, mais a torcida vai ser grande. Abraços.

  7. Véio, se eu tivesse uma produtora , e bastante $$$ , montava ou um filme sinistro ou um anime (ia ficar dimais) do BENTO..

    q é isso, esse merecia mesmo….

    andei até desenhando um storyboard e brincando de roteiro com uns amigos, mas sou brasileiro, naõ desisto nunca, (porém joguei os desenhos fora), hehehe

    nunca imaginei q iria depois comentar com o vianco, se soubesse, kkk…

    sou “escrevedor”, ou seja, um escritor falido (ou já ou ainda, não sei…) depois se der, dá uma butuca em http://www.riscamundo.blogspot.com/ pode criticar a vonts se quiser… iria ser uma honra!

    Mas tô feliz de aos 30 e poucos anos poder ler material q fala de ficção DA GENTE, treta nas CIDADES NOSSAS, etc… vc e o Spohr são meus ídolos da nova literatura nacional!!

    MUITO SUCESSO!!!

  8. Sueli Says:

    Viando,gostaria de saber se tem algum livro da continuação da história de Tiago e Elina depois de Sétimo.

    Queria muuuuuuuuito continuar a história…

    Aguardo respostas, Beijoos.

  9. Igor Laytynher Sandes Says:

    Caramba André,

    O filme com certeza vai muito além de um piloto. ^^

    Tenho certeza que muito em breve este seriado, que será incrível (baseando-se na história dos livros), estará rodando nos canais fechados pelo MUNDO…. ^^

    Obviamente levará um tempo pra isso acontecer, mas mantendo a mesma garra que você teve quando ousou publicar “Os Sete” e correr de livraria em livraria, insistindo pra que eles fossem aceitos… Fazendo isso, você irá colher os frutos novamente cara!

    Tenha certeza disso. Você está apenas galgando mais um degrau do sucesso que já é teu. 😉

    Agora, eu gostaria de dar uma sugestão (nem vi o piloto e já estou até dando sugestão… que chato… rs… ^^’)…. O seriado é baseado nos livros “O Turno da Noite”, mas acho que vocês poderiam aproveitar e utilizar parte da história dos outros livros pra contar o seriado também, como flashback, por exemplo… O Cantarzo mesmo… Antigamente era Samuel, era um humano bom e acabou sendo amaldiçoado pelos demônios e virando um vampiro “original”, ou o Gregório, que antes de se tornar anjo teve um dentro de seu corpo (Thal), e era um homem mau… Ou no caso dos 7 D’ouro, com seus poderes e a explicação do porquê o Thiago ter superpoderes (inclusive o de congelar)… Essas coisas… Bem, são apenas sugestões… Obviamente vocês sabem o que é melhor, afinal eu sou apenas um fã, não expert em seriados ou coisas do tipo… Rsrs…

    Abs! =D

  10. Ah, não… Meu PC que demorou pra carregar…
    Rs… Está ali em cima! 😄

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: