Archive for maio, 2010

Festival Literário da Mantiqueira

Posted in a vida como ela é, literatura nacional on 05/31/2010 by André Vianco

Paisagem não falta em SF Xavier.

Poxa, foi um fim de semana incrível. Participei do Festival Literário da Mantiqueira que aconteceu em São Francisco Xavier. Tá, admito, nunca tinha ouvido falar desse vilarejo que é um subdistrito de São José dos Campos, o que é boa notícia para os paulistas viajores de plantão que curtem conhecer paradas bucólicas recheadas de restaurantes bacaninhas e pousadas agradáveis a preços possíveis, porque, pela Dutra, São Jose dos Campos fica a coisa de uma hora de carro. Dali até São Francisco Xavier pega-se uma estradinha de vai e vém com coisa de 50 km. A vigem fica mais lenta na serra porque q estrada é estreita e sinuosa, mas é uma delícia. Eu curto viajar sem pressa nem correria, fazendo paradas onde a paisagem convida, se possível. Deixamos nossas 3 filhotas com minha mãe e meus compadres (afinal de contas para que inventaram madrinha e padrinho?) e fomos de encontro aos meus leitores da Mantiqueira.
O festival, organizado pela Cultura do Estado de São Paulo, estava primoroso. Claro que o clima da cidade ajudou um bocado.
Viajei na companhia de minha esposa e, saindo de Osasco, deixando nossas 3 filhotas com minha mãe e meus compadres (afinal de contas para que inventaram madrinha e padrinho?) e fomos de encontro aos meus leitores da Mantiqueira. E, domingo, às 16h30, eles estavam lá, na frente da tenda dos estudantes. Conheci uma leitora muito especial, dona Nelly, de 75 anos, que é fanzaça dos meus livros de vampiros, não gostou tanto de A casa, o que ela curte mesmo é dentes afiados, o pau quebrando, e sangueira voando… pobre Edward, não deve agradar o boa dona Nelly tanto quanto o Inverno.
Falando em Inverno, esperávamos um frio congelante, por conta disso minha querida esposa levou algo perto de um bilhão de casacos… e vejam, só… fez um friozinho pé de chinelo, o suficiente pra comentar: Tá frio, né? – mas nada glacial como vaticinou a Marisa.

Lá em S.F. Xavier conheci também o colega Wilson, escritor de poesia e literatura infantil e tantas outras coisas que nos levou ao boteco da Kátia… não lembro o nome do lugar, mas é bem aconchegante, tinha lá uma fogueira nos fundos, e um senhor (Tito) mandando ver num violão, cantando com voz grave tudo o que o povo pedia. É claro que eu não podia deixar em branco e escrevi no guardanapo: “Toca Raul!”. Quando a cachaça chegou estávamos lá cantarolando “Medo da chuva”. O fim da noite não podia ter sido melhor, com vinho quente e show ao vivo de Arnaldo Antunes.

Resumo: São Francisco Xavier é um lugar pra se sentir saudades e voltar.

Minha querida leitora Nelly, 75 anos de muito leitura e bom humor.

Olha a coleção inteira ai na Submarino, quem vai querer?

Posted in a vida como ela é, coisas, literatura fantástica, literatura nacional on 05/29/2010 by André Vianco

Mulher bonita não paga, mas também não leva!

Essa semana a submarino colocou no ar um hotsite com todos meus livros a módicos R$ 159,90 (é, vc leu certo, é a coleção toda, excetuando o novo “O caminho do poço das lágrimas”)

O barato é que quem aproveitou já está recebendo seus livros. Igual o seguidor do twitter, @livrosemserie que já tratou de postar o pacote recebido. hahaha. Um montão de gente está postando as fotos por lá. Interessante isso.

Olha o que o correio trouxe hoje: "Sussurro", "Caçada" e a c... on Twitpic

A internet traz uma força de partilhamento difícil de mensurar. Tipo, chegou, clicou, postou.

Poste lá pelo twitter sua foto, com um @andrevianco junto que eu coloco aqui no blog. Não precisa ser exatamente a foto da coleção de livros inteirinha, pode ser qualquer curiosidade q envolva vc leitor/a que quer partilhar aqui com os leitores desse singelo blog. hahahahah.

Meninas de corset e maquiagem dark preparadas pras baladas góticas podem mandar fotos??? Podem, eu deixo. hahaha.

Abraços.

Vibrem!

Posted in audiovisual, literatura nacional, novidades!, seriado!, trabalhar com cinema, vampiros with tags , , , , , , , , on 05/27/2010 by André Vianco

Essa foi mais uma semana importante para o projeto do piloto do seriado O turno da noite. Muita coisa boa acontecendo. Consegui um excelente diretor de arte que está também indicando gente muito fera para vários departamentos da pré-produção e produção.
Muito material de leitores de minhas obras e gente que está acompanhando o blog está chegando ainda. Quem já mandou não precisa mandar novamente, agora é só esperar. Quem não mandou nada, ainda dá tempo. O mail da produção, como já divulgado, é criamundos@uol.com.br .
O primeiro episódio é sempre o mais exigente e demorado para uma equipe que se dispõem a criar do zero um seriado, posto que o primeiro episódio, da primeira temporada, é o que cria a “fôrma” para tudo o que virá. É agora com a equipe de criação de arte que todo o código visual da série e da primeira temporada será criado. O figurino, a cor dos cenários, paleta de cor dos núcleos de personagens, concepção estética, estilo visual, objetos de cena, adereços, logo da série, tudo, tudo, definido agora.
Outro avanço é o fato de um ator amigo meu, competente pra caramba, ter aceitado fazer o bom Dimitri. Já teria ficado muito contente com essas duas “aquisições” de qualidade, porém, mais uma jóia caiu em nosso projeto, uma jóia linda, deliciosa, ofuscante, com um sorriso maravilhoso e, como se não bastasse, excelente atriz…. negra. Sim, nós temos uma Calíope. Justamente essa personagem estava me deixando bem encanado, porque como esse projeto vem em primeiro lugar para celebrar os dez anos de meu primeiro livro e também para presentear vocês leitores, eu não estou aceitando nada além do perfeito. Todas as dezenas de escolhas que estou tomando a cabo a respeito da equipe selecionada para atuar atrás das câmeras, equipe que vai passar fácil das 40 pessoas, e vai dar um duro danado para chegarmos a um grau de qualidade de tirar o fôlego do leitor mais exigente, será praticamente materializada através do seleto grupo de aproximadamente 20 personagens que estarão na frente das câmeras. Quero atores que, de verdade, por aqueles breves dias encarcerados em estúdios de filmagem, mais que emprestem, que dêem a alma para as pessoas que irão encarnar para que os personagens dos livros simplesmente saltem das páginas para esse plano quase real. Por isso, creio eu, as escolhas mais difíceis para mim, na qualidade de diretor do projeto, são os atores. Admito que apesar de crítica, essa é uma das fases mais deliciosas de uma produção de audiovisual. É preciso ter paciência para sentir os atores, se conectar com eles e enxergar quem eles são dentro do projeto e se, de fato, os são. Os atores precisam vibrar na mesma sintonia, na mesma freqüência do projeto. E o Dimitri e a Calíope são, simplesmente, vibrantes.
É claro que ainda estou fazendo um baita mistério, claro. Estou contando milagres sem dizer o nome dos santos, posto que com um bom Google vocês encontrariam todo mundo que eu listasse nesse post e perderia a graça. Confiem no titio Vianco. Em meados de julho aposto que pequenos vídeos já estarão pipocando aqui no blog para tentar arrefecer a sanha de novidades de todos vocês. O turno da noite está chegando.

Sobre uma sequência do roteiro

Posted in audiovisual, seriado! with tags , , , , , , on 05/23/2010 by André Vianco

Segue um trechinho do seriado. É claro que tive que pinçar algo que não estragasse muito as surpresas que estão por vir. Para quem é apaixonado por alguns dos personagens da saga, talvez um arrepiozinho básico bata lendo essa sequência de cenas.
O episódio terá cerca de 32 cenas compondo uma dúzia de seqências somando 40 minutos de duração.

CENA 7 INT. NOITE – CORREDOR DO QUARTEL
Um soldado, andando acelerado, para em frente uma porta e ajeita o uniforme. Ele bate repetidamente na porta.

CENA 8 INT. NOITE – DORMITÓRIO CAPITÃO BRITES
Está sentado folgadamente em uma poltrona em seu dormitório simples.
No dormitório há apenas um guarda-roupa embutido, uma cama, uma larga janela, uma escrivaninha e sua poltrona. Tudo sóbrio, cores que remetem a caserna.
Ele tem um copo de uísque na mão, desperta com o som das batidas na porta.
Abre a porta, há um soldado ali. O soldado faz uma rápida continência, correspondida pelo superior.
SOLD ARAGÃO
Capitão, eles chegaram, senhor.
CAPITÃO BRITES
Tivemos baixas dessa vez?
SOLD ARAGÃO
Não, senhor.
CAPITÃO BRITES
Bom, muito bom. E por que veio me acordar com esse alvoroço todo?
SOLD ARAGÃO
Uma das cativas, senhor. Uma delas quer ver você.
CAPITÃO BRITES
Me ver?
SOLD ARAGÃO
Sim, senhor.
CAPITÃO BRITES
A troco de que?
SOLD ARAGÃO
Ela quer falar com nosso superior, o responsável por sua prisão.
CAPITÃO BRITES
E eu lá vou dar bola pra pedido de uma infecta duma figa? Você deveria ter vergonha de ter vindo aqui me acordar, soldado!
SOLD ARAGÃO
Ela pediu com tanto jeito, senhor.
CAPITÃO BRITES
Suma daqui antes que eu te taque numa disciplinar, soldado.
SOLD ARAGÃO
(prestando continência)
Sim, senhor!
Brites bate a porta na cara do soldado.

CENA 9 INT. NOITE – CORREDOR DO QUARTEL
O soldado Aragão fica parado na frente da porta fechada. Ele aperta os olhos, tremendo, suando frio. Ele se afasta um passo para trás e então vira para refazer o caminho pelo qual veio.
Quando da os primeiros passos vemos a porta se abrir e a cabeça de Brites surgir no corredor. Ele sai.
CAPITÃO BRITES
Soldado.
SOLD ARAGÃO
(virando-se)
Senhor?
CAPITÃO BRITES
Qual é o nome dela? Da infecta.
SOLD ARAGÃO
O nome dela é Calíope, senhor.
Câmera mostra o rosto de Brites apenas aquiescendo. Fade out.

Calibrando os pneus do Comodoro.

Posted in a vida como ela é, audiovisual, eventos, literatura brasileira, literatura fantástica, seriado! with tags , , , , , , , , , on 05/21/2010 by André Vianco

Bem, essa semana foi cheia. Estou avançando nas páginas do “A noite maldita” que promete ser um livro daqueles, longo, sombrio e cheio de vampiros. Cheguei ao meio dele aparentemente. Apesar de eu ter um resuminho de tudo que vai acontecer em cada capítulo até o seu final, sempre vão espocando coisas novas, situações novas e até personagens novos! Ser criativo pode ser uma benção e também uma maldição. Hahahaha. Ser criativo pode levar a ser pródigo com as ideias e terminar com o saco vazio. A última vez que parei para contar quantos ideias eu tinha para escrever livros, bati em setenta histórias. Se eu escrever um livro por ano, pronto, não viverei o suficiente para contar esses causos para vocês. Então tenho que escolher a dedo meu próximo tormento. É… escrever livros é um tormento. Acreditem. Mas os olhos de vocês pregados nas páginas e os mails pedindo mais novidades paga todo o sofrimento, e é claro que os direitos autorais também servem de um bom alento. O fato é que temos que pensar um livro de cada vez. Um mundo a cada tempo e trabalharmos, dia após dia, página após página para, a cabo de alguns meses, termos lá o calhamaço que chamamos de romance escrito.
Já com o seriado “O turno da noite”, uma outra mídia, uma outra plataforma, a coisa também vai caminhando. A ideia é filmar as 36 cenas do piloto em final de junho, começo de julho. Enquanto isso já aluguei uma grande sala aqui em Osasco que será o quartel general da equipe. É, o seriado será feito em parte aqui em Osasco. Se vc é de longe e não gostou, lamento. Se acha Osasco longe, fique em casa. Hahaha. Se não sabe chegar me Osasco, fique amigo do Gloogle maps.
Toda produção passa pelo processo de pré-produção, que é colocar no papel tudo o que será necessário para que as filmagens aconteçam com êxito e com os menores sobressaltos possíveis (e acredite, eles acontecem). Daí que as produtoras e produtores desse estágio (Marisa, Aline e Ricardo, por hora) estão diariamente verificando o roteiro e suas necessidades. Onde alugar as réplicas de armas necessárias, os veículos necessários (incluindo ai o tal do Comodoro preto do caralho, equipamento de iluminação, casting e tudo o mais (dublê, locações, maquiadores e tananam).
Recebemos um montão de mails de leitores engajados e com vontade de entrar para a equipe. Os interessados começarão a ser contatados em algumas semanas. Enquanto isso, quem está ansioso, vai fazendo yoga ou tomando prozac, uma hora o mail pinga ai na sua caixa de entrada. Para quem não for chamado, paciência, e una-se a torcida para que o seriado saia do piloto e se torne uma temporada integral com os seus 12 a 16 episódios.
Semana que vem tenho reunião com um grande sujeito que é meu sonho de consumo para ser Diretor de Arte e Preparador de Atores. Ele topando essa empreitada, a qualidade da equipe será elevada para um novo patamar.
Amanhã cedo embarco num vôo para a capital de Minas Gerais para um evento que será às 17hs, na Bienal de Minas. Espero que os leitores de Belo Horizonte estejam animados. Estarei no estande da livraria Leituras, conversando com vocês e pensando nesse seriado.
Abraços, senhoras e senhores.
O turno da noite vem ai.
André Vianco

Eventos chegando!

Posted in eventos, literatura brasileira with tags , on 05/16/2010 by André Vianco

Próximo sábado, dia 22 de maio, às 17h00, na Bienal do Livro de Minas 2010, no stand da livraria Leitura. A feira será realizado no Expominas, em Belo Horizonte, no bairro da Gameleira, inclusive existe uma estação de metrô bem na frente do local do evento, o Expominas fica na Avenida Amazonas 6030.
http://www.bienaldolivrominas.com.br/conteudo.aspx?pP=29&pO=3&pM=1

Dia 30 – domingo – Festival da Mantiqueira – São Francisco Xavier (região de São José dos Campos e Campos do Jordão) – 16h30. Bate-papo com leitores no espaço “Tenda dos estudantes”.

Eu falei que ia aparecer alguém pra organizar!

Posted in audiovisual, seriado! with tags , , , , , , , , , on 05/14/2010 by André Vianco

O pessoal da produção já me contatou implorando para eu pedir o que segue:

quem quer participar como ator, atriz, e já for mais profissional, mandar currículo e (importantíssimo) com fotos!
quem não é profissional, mas quer participar, deixar claro no corpo do mail que é amador, e mandar fotos!
não é ator nem atriz, mas quer aparecer como figurante, pontinhas e etc, tem que mandar mail com foto!

pessoas que querem ir para a frente das câmeras, sem foto, nem adianta, nem manda.

pessoas que querem participar nos bastidores, coloquem pelo menos qual área “mais ou menos” você tem interesse de participar, acha que pode ajudar, etc. Vamos facilitar a coisa.

hahahaha, vamos lá, continuem tentando, e prestando atenção aqui no blog ou no twitter, @andrevianco onde sempre coloco orientações.

o mail de contato com a produção: criamundos@uol.com.br

abraços.

Sobre leitores que querem participar!

Posted in Uncategorized on 05/14/2010 by André Vianco

Eu quero muito que os leitores se envolvam com esse projeto. Eu acredito muito nisso, nessa troca. Por que? Sei lá, porque sou assim e, graças a deus, existe um montão de gente assim também, que acredita nas pessoas e na amizade. Eu considero os leitores algo muito próximo a um amigo. Sempre trato com o maior respeito possível, dentro das possibilidades. O que odeio? Quando nego chega em mim e diz, olha, minha prima também é sua leitora, eu vou ligar pra ela e vc conversa com ela pelo meu celular? Eu dou aquele sorriso amarelo, digo, tá, falo. Agora, cá entre nós, eu odeio isso. hahahahaha! Não é por chatice minha, metidez, arrogância… nada disso, mas é chato pra cacete vc pegar um celular e falar: oi, fulana, aqui é o andré vianco… ai a pessoa diz, mentira da minha prima/mãe/namorada/seguidora no twitter. e vc fala: então, sou o andré vianco… ai a pessoa, tá, adoro seus livros…. silêncio. hahaha. chato, chato. Não peçam pra eu falar com ninguém no celular, a pessoa que dê um jeito de aparecer. hahahaha. Coisas de escritor.

Mas fora os telefonemas em fila de autógrafos ou baladinhas (pois é, creiam-me, fazem isso em baladinhas também, eu já começo a rezar, tomara q nao peçam pra eu ligar, tomara! hahaha) eu adoro encontrar com leitores e trocar ideia, e tomar uma breja e so on. Como comentei antes, tive a ideia de colocar os leitores na capa dos livros da série OTN, mandei recados em minhas comunidades no orkut e numa bela manhã de sábado lá estavam algumas dezenas de leitores para serem fotografados. Alegrias de uns, tristeza de outros, logo foi feita a seleção e as capas foram produzidas. Agora quero repetir esse lance, essa troca com os leitores permitindo que muitos de vcs participem da realização do piloto e, cruzando os dedos, do seriado.
É claro que alguns cargos-chave serão preservados, como direção, direção de arte, fotografia, som-direto, entre outros, mas toda essa galera ai vai precisar de assistentes de produção, de direção de arte e vai embora. Para o cafezinho já contabilizei 270 candidatos, disparado a vaga mais concorrida. hahaha.
Nossa equipe de pré-produção já está começando a selecionar atores, atrizes, figurantes, etc… então, corram. Precisa ter DRT para se candidatar a ator? Não necessariamente, mas precisa ser bom, talentoso, profissional, se encaixar nos perfis que buscamos. TODOS os candidatos selecionados e atores e atrizes convidados passarão por testes e não, não procuramos apenas estrelas. Se tem vontade, tente, quem sabe não descola uma pontinha só pra dizer que fez parte dessa coisa mais doida?!

Buscamos também as bandas para compor as músicas temas da produção. Se vc tem uma banda ou conhece uma banda foda, preferivelmente (mil vezes preferível) que seja brasileira e cante em bom português. Estilos, tudo, exceto pagode (nada contra os pagodeiros e pagodeiras, mas não combina pagode com vampiros, faz favor!). Que tipo de música… leiam os livros, vcs são leitores, não são? Na série OTN tem
tudo o que eu preciso e vc precisa pra se inspirar.

Para se candidatar as pontinhas onde os leitores serão aceitos é só mandar, por hora, um mail para criamundos@uol.com.br colocando no assunto a área que te interessa em participar. Selecionaremos alguns, entendam, faremos o que for humanamente possível. E nem vem fazer biquinho quem não for selecionado… chorar é para os fracos, e pense, ao menos teremos algo para assistir e vc que não participou vai poder meter o pau de dizer, se eu tivesse lá estaria muito melhor! hahaha!

As coisas estão assim, na base da fulgor do momento, uma hora surje uma secretária por aqui pra organizar tudo. hahahaha. abraços.

André Vianco

A produtora CriaMundos

Posted in a vida como ela é, audiovisual, eventos, literatura fantástica, novidades!, trabalhar com cinema, vampiros on 05/14/2010 by André Vianco

Bem, muita gente anda perguntando se já tem uma produtora interessada no projeto “O turno da noite”. E eu sempre respondi que é um projeto independente, uma coisa que eu estou fazendo no intuito de, principalmente, comemorar os dez anos de lançamento do livro “Os sete”, uma forma de presenter os leitores fiéis esses anos todos e também presentear a mim mesmo que sempre imaginei as personagens dessa série ganhando vida.
Contudo, já há algum tempo eu tenho uma produtora, que vem criando apenas ideias no papel para seriados (é eu já tenho mais dois seriados escritos, fora dos meus mundos já conhecidos em literatura) e venho perseguindo o sonho de produzir meu primeiro longametragem. Nessa busca já dirigi dois curtas, o primeiro ficou com um resultado meio tosquinho em termos visuais e de finalização, mas o segundo ficou muuuuito bom. O primeiro “A flor” está lá no meu canal do youtube e o segundo, baseado no meu conto e de mesmo nome “A última partida” contém apenas o trailer. O que esses filmes me ensinaram? Muita coisa e o principal e o que mais acredito, uma boa história pra contar já é meio caminho andado e que dedicação a captação de som é tudo. hahahaha.
Em tempo, gosto muito do “A flor”, comparando com minha literatura, lembro muito de minha primeira tentativa de um grande romance, quando eu tinha, sei lá, 18 anos. Escrevi um livro “A alma da espada”, que contava a história de um rapaz que dirigia perigosamente um “muscle car” e, para não atropelar uma garotinha, joga o carro na traseira de um caminhão estacionado. Quando ele abre os olhos está lá, no limbo, com a chance de voltar para casa em suas mãos. É uma típica aventura adolescente num mundo de magia e fantasia total, onde recebe ajuda de anjos, uma gangue de gorilas robôs e um caminhoneiro apaixonado, cruzando as estradas de Setembro Deserto, o nome da terra onde está. Resumindo, é um livro escrito de forma rude, totalmente amador e, talvez justamente por conta disso, escrito por um moleque extremamente apaixonado por contar histórias. A história é ardente. Já no meu primeiro curta, a história é emprestada de Carlos Drummond de Andrade, do conto, Flor, telefone, moça. Uma jóia do terror nacional. Mas ali vi que meus roteiros audiovisuais funcionam, que escolher uma equipe funciona, que dirigir é possível, que pós-produzir é possível e etc. E ainda que eu ache o resultado do curta muito razoável, quando se mexe com arte é preciso preservar um alto senso crítico. Colocando na dimensão de aprendizado, ficou ok. Agora, passando “A flor” para a dimensão de produto broadcast, sem chance. Tecnicamente é fail. hahahaha. Mas estamos falando ai de um filme feito com pouco mais de hum mil reais. Já o “A última partida”, que ficou muito melhor, mal passou de 3 mil reais de produção e pós.
Agora, a produção do piloto do “O turno da noite” vai demandar muito mais recursos, principalmente para ter uma equipe capaz atrás das câmeras para fazer a magia da fantasia em movimento acontecer, fazer, por um instante, vc acreditar naquilo que está diante de seus olhos, com um esqueleto formado pelo roteiro e a história, muito poderoso e que vai ajudar demais, mas para esse bichão tomar forma é preciso muito mais que ossos. Os músculos, tendões, sangue, alma, virão de outros departamentos, como direção de arte, captação de som direto, folley, direção, fotografia, efeitos visuais, montagem e muitos outros profissionais que ajudarão o Comodoro do Dimitri passar rasgando na telinha e vc torcer para se arrebentar de frente com uma porta e cair dentro de um covil de vampiros soltando de um lado o conhecido Matador e do outro o paladino Tobia, com armas e munição o suficiente para fazer o Charles Bronson ter um orgasmo.

Minha maior vontade é que essa brincadeira toda (tá! é trabalho, feito por profissionais, mas desculpa ai se é divertido pra caralho quando um filme dá certo!) não fique apenas no piloto. Vou usar de todos os canais possíveis e toda minha energia para que esse piloto inflame e as labaredas incedeiem também os distribuidores, canais de TV fechada ou aberta para que o seriado se concretize. Vira um frio na barriga? Sim, sem sombra de dúvidas. Não só por reconhecer que um seriado desse porte é inédito na TV brasileira, sulamericana, mas por imaginar lobos escapando de tanques de postos de gasolina, Calíope e suas curvas fantásticas seduzindo o pobre coitado do empedernido capitão Brites, Yuli fugindo do Grupo de Contenção, Jó despertando no templo do Deus Noite, cercado por seus fabulosos guardiões curupiras… é, serão imagens para ficar na memória.

Minha produtora é a Criamundos, é, por hora, a única responsável pela tarefa de transformar esse sonho em realidade, pelo sucesso ou fracasso da tentativa e torço para que logo vcs ouçam falar um bocado dela. ^^

abraços,

André Vianco

O seriado OTN em movimento.

Posted in a vida como ela é, audiovisual, novidades!, Uncategorized, vampiros with tags , , , , , , , , , , , on 05/13/2010 by André Vianco

Hj aluguei um grande salão aqui em Osasco que vai servir de base de operações para essa enorme empreitada que é produzir um seriado. A equipe de produção terá um lugar para chamar de lar e eu terei meu primeiro escritório fora de casa. Acho que vou sentir saudades do cafezinho da Dona Branca por perto e da gritaria das filhotas (snif.), mas é isso é igual filho crescendo, uma hora a coisa precisa de mais espaço. O escritor, não… é como o Chorão diz, meu escritório é na praia, estou sempre na área (desde que esteja com meu laptop!).

Digressões a parte, o fato é que agora “O turno da noite” tem uma morada e o projeto está em movimento e acelerando até chegarmos a um horizonte de eventos, quando não vai dar mais para voltar atrás.

Já estou ouvindo o som do motor do Comodoro. hahahahaha!

Ah! Amanhã já posto o tal do mail para que enviem músicas demo e currículos.

abraços.

André Vianco